De Bate-Pronto: Analisando a volta de Mano Menezes ao Corinthians

Mano Menezes chega ao Corinthians. Em sua primeira passagem, ele somou 185 jogos pelo clube, sendo o 6º colocado no ranking dos técnicos que mais estiveram a frente do Corinthians. Fora isso, fez parte da reestruturação do Corinthians na Série B, ganhou uma Copa do Brasil, um Paulistão e chegou perto do título Brasileiro em 2010, quando foi pra Seleção.

Mano tem uma certa identificação com a torcida do Corinthians, são poucos os que não gostaram da vinda do técnico. Mas, ele pode dar certo no Corinthians? Ao meu ver, sim.

O Corinthians tem um time pronto. Apesar do 2º semestre desastroso, os jogadores são quase todos os mesmos que ganharam a Libertadores e o Mundial. Sem contar que os reforços contratados ainda com o Tite serão mais aproveitados, e podem dar bons frutos para o Corinthians.

Se o que faltava era motivação, quer melhor motivação que um técnico novo? Mano Menezes chega à um Corinthians totalmente diferente de 6 anos atrás, mas com muitos jogadores com pensamento de Série B. Dos quais, esses mesmos, não têm uma vaga garantida com o técnico – pelo menos é o que se espera -, sendo assim, precisarão conquistar a titularidade, e jogar para isso.

Taticamente e tecnicamente falando, o Mano é diferente de Tite. Com o Tite, os atacantes voltavam para marcar, e isso atrapalhava muito o desempenho dos atacantes (o que pôde ser muito bem observado no Brasileirão). O Mano dificilmente joga assim. O que nos faz acreditar que Pato, Guerrero e cia limitada, vai render mais nesse ano.

Ao invés de voltar os atacantes para marcar, o Mano costuma a colocar mais volantes que o normal, e o Corinthians tem várias opções para essa posição. Ralf, Guilherme, Ramirez, Jocinei e Willian Arão. Geralmente, o Mano coloca 2 volantes como de praxe, fazendo as funções “normais”, e um volante para ajudar a armação do time. Dito isso, para essa função especial que o Mano criou, pode ser utilizado o Guilherme, Ramirez ou Jocinei. Mas o que faria essa função com mais maestria, seria o Jocinei, que já jogou pelo Rio Claro como meia amador.

Pato será a peça-chave no início do trabalho do Mano. O Pato ano passado não foi tão mal como dizem, mas ficou longe de justificar os 40 milhões gastos na sua contratação. Potencial todos sabemos que ele tem, e o mais coerente é que ele seja usado como ponto de referência. Se o novo técnico do Corinthians fizer isso e der certo, o mérito será só dele. Se não der certo, o Pato, já queimado, leva a culpa, e o Mano segue com moral com a torcida.

A diretoria corinthiana fez uma boa escolha ao contratar o Mano Menezes. É um técnico que já passou pelo Corinthians, saiu pela porta da frente, conquistou títulos, e trocou o Grêmio que ia para a Libertadores, para vir para o Corinthians jogar a segunda divisão. A identificação com o Corinthians é o principal, porque se os resultados forem ruins no início, a cobrança não será tão grande e ríspida como seria se fosse um técnico totalmente novo no Corinthians.

Capacidade técnico e jogadores têm, falta um algo a mais, que uma renovação no cargo pode trazer facilmente. A volta do Mano pode e será vitoriosa, é só dar tempo ao tempo.

Thiago Cunha Martins

Paulistano, alvinegro, co-fundador e Diretor-geral do HTE Sports. Jornalismo por paixão, Psicologia por vocação. Adorador do futebol e tudo o que o rodeia. Fã curioso da NFL, UFC e eventual seguidor de outros esportes

%d blogueiros gostam disto: