Cine HTE: Quando o jogo está alto

“A primeira regra de sobrevivência é clara: nada é mais perigoso que o sucesso de ontem”. Essa frase é de Luiz Felipe Scolari, técnico penta-campeão do mundo com a seleção brasileira e que hoje dirige o Grêmio de Porto Alegre. Basicamente ele diz que, quando dormimos no sucesso, a chance de fracassarmos aumenta, pois nos descuidamos das razões que nos levaram as conquistas e as adversidades que aparecerão serão complicadas de superar. Para entendermos um pouco mais sobre isso, vamos utilizar o filme Quando o Jogo está Alto (When the Game Stands Tall; 2014).
O longa-metragem é baseado na história real de Bob Ladouceur, lendário treinador de futebol americano colegial, que comandou os De La Salle High School Spartans à incríveis 151 vitórias consecutivas sob seu comando, conquistando diversas vezes o campeonato estadual. Ladoceur mostrava a seus alunos não só como se portarem em campo para vencer jogos, mas como deve ser a postura diante da vida. Após atingir a marca de 151 jogos de invencibilidade, no início de uma nova temporada, vem a derrota que marcaria o fim da série. Nesse momento, várias adversidades aparecem. Problemas de relacionamento entre jogadores, antes escondidos, agora vem a tona. No jogo seguinte, nova derrota. A partida seguinte seria o maior desafio da temporada, contra os campeões nacionais, em seus domínios.
Para vencer era necessário que De La Salle mostrasse resiliência. Ou seja, era necessário que mostrasse a capacidade de superar a adversidade e sair ileso dela. Segundo Boris Cyrulnik, psicanalista francês que difundiu o termo dizia que a chave da resiliência está na cura por meio do afeto. Em seus estudos com órfãos na Romênia comprovou que a principal causa dos transtornos mentais não eram os maus-tratos, mas a falta de carinho e afeto nos orfanatos. Ou seja, era a falta de alguém que os apoiasse nos momentos de dificuldade.
E é isso que vemos em Bob Ladouceur e seus assistentes nos momentos que antecedem o principal jogo da temporada. Retoma os fundamentos que fez a escola conseguir a incrível seqüência de invencibilidade, com os treinamentos e as reuniões em grupo onde cada jogador, capitão, titular ou reserva, colocava para fora seus sentimentos e suas angustias, além da alegria e prazer de fazer parte da equipe. Com isso, poderiam esquecer o sucesso do passado, aprender com os recentes fracassos e buscar um novo horizonte vencedor.
O poeta uruguaio Mario Benedetti analisa o uso do fracasso como experiência no trecho a seguir: “Fracassar também é um sinal, que é quase uma advertência, de que tínhamos algo para dar, talvez para perdê-lo em uma noite. O fracasso faz bem, é um alarme, mostra que somos vulneráveis, e com essa tutela nos dá forças, para retornarmos a vitória”.
Experiência e resiliência foram necessárias para que Ladouceur e os Spartanos de De La Salle retomassem o caminho da vitória. Foi necessário que olhassem para as derrotas não com ódio, mas com vontade de aprender com elas. Foi preciso que o líder mostrasse que estava ao lado deles, tanto na vitória, quanto na derrota. Foi preciso a união de um grupo em torno de um ideal para que o caminho das vitórias fosse retomado.
Ficha Técnica
Título Original: When the Game Stands TalT
Tempo de duração: 115 min
Ano de lançamento (EUA): 2014
Direção: Thomas Carter
Roteiro: Scott Marshall Smith (screenplay), Scott Marshall Smith (story)
OBS: A seção Cine HTE não tem a pretensão de fazer uma crítica em si dos filmes, mas relatar e refletir sobre os ensinamentos que são abordados na história, seja baseado em fatos reais ou mera ficção.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: