Hospício #2 – Da tensão à glória

Mesmo sendo umas das primeiras semanas do ano, com certeza esses dias que passaram ficarão entre os mais tensos da temporada. Tendo que lidar com o trauma da pré libertadores, e logo em seguida enfrentar o maior rival, o torcedor corinthiano tinha motivos de sobra para estar nervoso.
hospício
O principal e maior desafio veio na quarta. Recebendo o Once Caldas em casa o timão tinha que lidar com a enorme pressão e fazer o resultado para afastar de vez o tal fantasma Tolima. Era esparado que o jogo fosse difícil e talvez nem o mais otimista dos torcedores imaginaria o enorme 4-0 que ocorreu. Nem mesmo a expulsão de Guerrero foi capaz de nos prejudicar. Centrados e se doando muito, os jogadores fizeram uma partida do tamanho do Corinthians. Bola no chão, nervos no lugar e um segundo tempo espetacular. Os colombianos, não mais com vantagem numérica de jogadores estavam perdidos, e assistiram as belas jogadas do “tite-taka” que ocasionaram em gritos de olé e em ótimas perspectivas para a equipe.
Mesmo com a classificação na mão, Tite resolveu poupar alguns atletas para o clássico de domingo. Ficaram de fora Fagner, Elias, Renato Augusto, Jadson e Emerson Shiek, por terem se desgastado muito na quarta. Felipe também saiu devido a algumas dores. Fomos então com um time misto, mas ainda forte.
Na partida cercada de tensão por todos os problemas extra-campo relacionados ao derby, brigas fora e dentro do estádio,O Corinthians mostrou o óbvio dentro de campo. Hoje, é mais time que o rival, ainda em formação. Enquanto a equipe alvinegra de mostrava muito bem postada e bem defensivamente, característica de Tite, os donos da casa não sabiam muito o que fazer com a bola e chegavam pouco ao gol de Cássio.
Embora melhor, e criando oportunidades, achamos um gol em falha da zaga palmeirense. A partir daí, esperávamos o contra ataque para matar a partida. Tudo ficou mais dificil com a expulsão de Cássio, mas mesmo assim saímos com a vitória. A primeira no novo estádio palmeirense, e mais uma na sequência de derbys vencidos pelo timão, segue o tabu.
Se a semana começou tensa, terminou perfeita para a fiel. Duas vitórias para engrandecer o reinicio da era Tite, e para nos encher de otimismo para os jogos que estão por vir.
_____________________________________________________________
* Danilo, um monstro – Discreto e decisivo ao mesmo tempo, esse é Danilo. Em toda sua passagem pelo timão resolveu diversas partidas para nós. Nos deu muita alegria, e agora no banco, segue decidindo. Sem reclamar, trabalhando e mantendo a humildade. Talvez o maior ídolo do elenco atual e com certeza um de mais importantes de nossa história. Mais um clássico na conta dele, e mais um capitulo da carreira brilhante do meia. Continue assim “Zidanilo” e obrigado por tudo.
* Vagner Love – Obviamente não acompanhei muito a passagem pela China, mas no Brasil, desequilibrou na maioria das vezes e não deixa de ser um bom nome. Resta saber  condição que ele está. A chegada do “artilheiro do amor” também gera um aumento nos rumores de que Guerrero não renovará, mas se o peruano ficar, teremos uma excelente dupla, para jogar junto, ou alternar nas diversas competições que disputaremos.

* Roberto de Andrade – Não é lá um incontestável presidente, mas confesso que não queria Citadini. Vamos torcer para que recoloque o Corinthians nos eixos e espero que pior que o Gobbi ele não seja, até por que é muito difícil. Está a um bom tempo no timão, conhece a casa, e tem capacidade para melhorar nossa situação. Boa sorte.

Thiago Cunha Martins

Paulistano, alvinegro, co-fundador e Diretor-geral do HTE Sports. Jornalismo por paixão, Psicologia por vocação. Adorador do futebol e tudo o que o rodeia. Fã curioso da NFL, UFC e eventual seguidor de outros esportes

%d blogueiros gostam disto: