Rugby: Confirmado o Torneio Seis Nações das Américas

As seleções masculinas de rugby da Argentina, Estados Unidos, Canadá, Uruguai, Chile e Brasil comporão em 2016 o torneio “Seis Nações das Américas”, que será organizado pela Associação Panamericana de Rugby (PARA), presidida por Agustín Pichot, ex capitão ex half-scrum argentino, com um terceiro lugar na Copa do Mundo de Rugby de 2007 no currículo.
O PARA, através de um comunicado, anunciou: “Este é um momento histórico para o rugby nas Américas. Tivemos ótimas reuniões e temos certeza de que o Campeonato Americano será um sucesso total para o desenvolvimento do rugby por aqui. Ainda há muito trabalho a ser feito, mas começamos por um bom caminho e parece ser muito promissor”, disse Agustín Pichot, na reunião de Abril deste ano.
O torneio “Seis Nações das Américas” será nos moldes do seu “primo europeu”, com cada equipe jogando cinco vezes, em disputa direta de todos contra todos e as seleções deverão mandar seus melhores elencos em caráter de preparação (com exceção da Argentina, que deverá mandar, inicialmente, sua seleção B, “Los Jaguares”). O Torneio deverá ser disputado no mesmo período em que é disputado o Six Nations, no primeiro semestre de 2016.

Para o Brasil, dois jogos já têm local marcado

Brasil vence o Chile no Sul-Americano de rúgbi XV
Os Tupis participarão de mais um torneio de XV-a-side
Ainda não há um nome certo para o Seis Nações das Américas, mas para os Tupis os jogos contra os Eagles e os Pumas já têm lugar: serão no estádio de futebol do Pacaembu, ex-estádio do Corinthians. Os confrontos contra Estados Unidos e Argentina serão realizados nos dias 27 de fevereiro e 5 de março de 2016, respectivamente. Antes, porém, os Tupis realizarão uma partida-teste contra a seleção da Alemanha, em dezembro, no mesmo estádio.
Veja, na íntegra, o comunicado completo da criação do torneio Seis Nações das Américas, pela PARA:
“Miembros ejecutivos de las seis naciones Americanas mejor posicionadas en el ranking internacional, incluyendo países de tanto América del Sur y como del Norte, se reunieron esta semana en Miami para discutir la creación de un nuevo Campeonato Internacional que comenzaría en el 2016. El torneo, que todavía no tiene nombre, sería una iniciativa disruptiva para fortalecer el calendario de competencias internacionales de Rugby en los dos continentes.
“Este es un momento histórico para el rugby en América” dijo Agustín Pichot, Presidente de P.A.R.A., la Asociación Panamericana de Rugby. “Tuvimos excelentes reuniones y como grupo de Uniones ,creemos que el Campeonato Americano será un éxito total para el desarrollo del rugby en la Región”. Aun hay mucho trabajo por hacer.
Reforzando las palabras de Agustin, el Presidente de la Unión de Rugby del Uruguay, Sebastián Piñeyrua, dijo: “Estamos muy contentos con los avances en las reuniones de hoy. El objeto de este torneo está alineado con nuestros planes como Unión y estamos seguros que será un gran motivo de desarrollo para el Rugby en América”.
Durante las conversaciones iniciales sobre la competición, las seis naciones acordaron que el Torneo Internacional sería desarrollado sobre la guía de la Asociación Panamericana de Rugby (P.A.R.A). Las naciones competidoras – Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Estados Unidos y Uruguay – jugarán 5 partidos cada una, dándole a los fans de Rugby en las Américas una chance de ver competiciones de alto nivel con mayor regularidad.

Agustín Danza, el CEO de la Confederación Brasileña de Rugby, quien también participó de la reunión, dijo “Somos muy optimistas sobre el futuro del Rugby en las Américas. El nivel de colaboración que logramos en esta primera reunión nos mostró que debemos reunirnos más para poder acelerar el crecimiento del Rugby en la Región”. Brasil es la nación sede de los Juegos Olímpicos de 2016, en los cuáles el Rugby hará su regreso triunfal a través del Rugby Sevens.

Los miembros ejecutivos representando a cada país acordaron en trabajar juntos y desarrollar un calendario para los próximos cinco años, que determinará los partidos de local y visitante para cada país. “Tuvimos una gran reunión en la que todos los países invitados pudimos avanzar y llegar acuerdos con gran entusiasmo” dijo Sebastián Bianchi, representando a Chile “el sueño de las 6 naciones esta cada más cerca.”

Las charlas iniciales sobre el Campeonato Americano fueron tan productivas que también se comenzó a discutir sobre planes de expansión del campeonato.  Y se trabajara con World Rugby para determinar y buscar la posibilidad que otros paises de las Americas puedan acceder  a este Torneo creando diferentes estructuras que transformen su crecimiento en una realidad.

El CEO de USA Rugby, Nigel Melville, compartió el entusiasmo de World Rugby, al decir “Este es un momento de mucho entusiasmo para el Rugby en las Américas. El Campeonato Americano de Rugby será un paso importante para el crecimiento del rugby internacional en la Región”.

El otro representante de Norteamérica, Graham Brown, CEO de Rugby Canada, dijo “Rugby Canadá cree fuertemente en trabajar en conjunto con nuestros socios en las Américas. Un torneo que provea calendarios de alta calidad y consistentes todos los años, ayudará a garantizar el crecimiento del deporte en América del Norte y del Sur.”

Membros executivos dos seis selecionados Americanos melhores posicionados no ranking internacional, incluindo países tanto da América do Sul como do Norte, se reuniram esta semana em Miami para discutir a criação de um novo Torneio Internacional que se iniciará em 2016. O torneio que, por ora, não há nome, seria uma iniciativa para fortalecer o calendário de partidas internacionais de Rugby nos continentes.
“Este é um momento histórico para o rugby na América”, disse Agustín Pichot, Presidente da PARA, a Associação Panamericana de Rugby. “Tivemos excelentes reuniões  e acreditamos que o Torneio Americano será um sucesso total para o desenvolvimento do rugby na região. Ainda há muito trabalho por fazer.
Endossando o coro de Agustín, o Presidente da União de Rugby do Uruguai, Sebastián Piñeyrua, disse: “Estamos muito felizes com o avanço das conversas de hoje. O objetivo deste torneio está em alinhamento com nossos planos como uma União de Rugby e estamos certos de que será um grande motivo de desenvolvimento de Rugby na América”.
Durante as conversas iniciais sobre a competição, as seis seleções concordaram em deixar o desenvolvimento do torneio para a PARA – Associação Panamericana de Rugby. As seleções competidoras – Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Estados Unidos e Uruguai – jogarão cinco partidas, proporcionando aos fãs de rugby nas Américas uma chance de assistir a competições de alto nível com uma maior frequência.
Agustin Danza, o CEO da Confederação Brasileira de Rugby Union, participou também das reuniões e disse: “Estamos muito otimistas quanto o futuro de Rugby nas Américas. O nível de colaboração que buscamos nesta primeira reunião nos mostrou que devemos nos reunir mais para proporcionar uma evolução mais frequente e rápida do Rugby no país”. O Brasil é o país-sede dos Jogos Olímpicos de 2016, no qual trará o rugby triunfalmente na modalidade Rugby Sevens.
Os membros executivos representando cada pais concordaram em trabalhar juntos e desenvolver um calendário para os próximos cinco anos, determinando as partidas de mandante e visitante para cada país. “Tivemos uma reunião em que todos os países convidados expuseram suas ideias e chegamos a acordos bem entusiasmados”, disse Sebastián Bianchi, representante do Chile. “O sonho de um Seis Nações está cada vez mais próximo”.
As ideias iniciais sobre o Torneio Americano foram tão produtivas que também se cogitou discutir sobre planos de expansão do torneio. Haverá trabalhos com a World Rugby para determinar e encontrar a possibilidade de que outros países das Américas possam entrar neste torneio, de forma a que sejam criadas estruturas que transformem seu crescimento em uma realidade.
O CEO dos US Eagles, Nigel Melville, compartilhou o entusiasmo da Rugby ao dizer que “Este é um momento muito feliz para os rugby das Américas. O Torneio Americano de Rugby será um passo importante para o crescimento do rugby internacional nos continentes.
Outro representante norteamericano, Graham Brown – CEO do Rugby do Canadá – disse que “O Rugby canadense crê fortemente no trabalho em conjunto com nossos sócios das Américas. Um torneio que proporciona ao público calendários de alta qualidade e consistência todos os anos ajudará a divulgar e fazer crescer o esporte nas Américas do Norte e do Sul

Vinícius Guedes

Administrador de Empresas pela UFRRJ, Segurança Privado, Árbitro de Rugby pela RioRefs, jogador pelo Itaguaí Rugby. Gosta de esportes, filmes, séries e muita música.

%d blogueiros gostam disto: