Cine HTE: Nocaute

Nos dias de hoje, talvez seja a época que mais se comenta sobre os hábitos de alimentação saudável. Diversos especialistas mostram como cuidar bem do corpo, a utilizar bem dos nutrientes dos mais variados tipos de alimente. Um campo da psicologia também vem crescendo no que diz respeito da nossa alimentação emocional e como isso influencia no nosso dia a dia, seja nas tomadas de decisões que precisamos fazer, seja em efeitos físicos somatizados. Nesse ano de 2015, o filme Nocaute (Southpaw, no título original), traz essa abordagem no personagem principal, o boxeador Billy Hope, interpretado por Jake Gyllenhaal.
Na trama, Billy Hope é um boxeador com um cartel de 42 lutas e 42 vitórias, sendo 4 defesas de cinturão na categoria dos meio pesados. Cresceu em um orfanato pelo fato de sua mãe estar presa. Lá, conheceu sua esposa, Maureen (Rachel McAdams) com quem tem uma filha. Billy Hope tem um estilo totalmente agressivo e desprovido de defesa. Usa sua raiva como maior arma dentro dos combates, mesmo que isso conceda facilidades em lhe acertar duros golpes. A falta de controle emocional também faz parte de sua vida fora dos ringues. Desafiado e provocado por Miguel Escobar, pugilista que quer o cinturão dele, Billy Hope se descontrola com seu empresário e com sua esposa.
Até que esse descontrole ganha efeitos trágicos em sua vida. Em um evento beneficente, Escobar novamente provoca Hope, que, descontrolado, dá início a uma briga generalizada. Um dos seguranças dispara uma arma e o tiro atinge sua esposa, levando-a a morte. Evento que desencadeia uma série de situações que trazem o pior de Hope. Semanas depois, em defesa do cinturão contra outro adversário, Hope praticamente fica estático para apanhar. Não contente com a paralisação da luta que decreta sua primeira derrota na carreira, desfere uma cabeçada no juiz. Perde o contrato milionário, é processado e perde seus bens. Em julgamento, a juíza decreta que Hope não tem controle emocional suficiente para cuidar de uma criança e tira-lhe a guarda de sua filha.
Todos esses eventos tiveram uma origem: A falta de capacidade de dominar suas emoções quando hostilizado por Escobar. Se não tivesse cedido à provocação do adversário, a briga não teria acontecido. Hope, nesse momento deixa de ser vítima para ser protagonista do próprio destino. Não adianta culpar quem deu o tiro, e sim o seu destempero que o levou a essa situação. E esse destempero vem pela alimentação que Hope deu ao seu corpo emocional, sempre lutando, com raiva, com ódio. Se nos alimentamos de comidas não saudáveis, certamente teremos problemas decorrentes dessa alimentação. As emoções funcionam da mesma maneira.
Billy Hope tenta voltar para sua vida. Em dificuldade de reaver a guarda de sua filha, busca com o treinador Tick Willis (Forest Whitaker) uma nova chance de voltar a lutar, de praticar o esporte e recuperar parte de sua vida. Willis fornece, com palavras, as maiores lições da vida de Hope. No primeiro encontro dos dois, diz que “O boxe não se luta com as emoções. O boxe se luta com a cabeça, sendo racional”. No segundo encontro, no bar, Willis novamente coloca a verdade para Hope, questionando-o o motivo de ele estar lá, tentando se recuperar. Provoca-o e vê o boxeador novamente cair no erro de deixar as emoções dominarem. E diz: “Foi isso (a raiva) que o trouxe aqui. Você está aqui por não conseguir se controlar”.
Começa então o treinamento de recuperação de Billy Hope. Em paralelo, o boxeador busca se reaproximar de sua filha. Sua postura a cada desafio que a vida lhe apresenta vai mudando. Quando contrariado, não mais “chuta o balde”, mas trata com racionalidade o que lhe vem ocorrendo. Começa a ter a chamada “Inteligência Emocional”.
Isso não quer dizer que ele não deva mais sentir emoções, muito pelo contrário. As emoções são parte da vida, mas não podemos nos deixar ser dominados por elas. Um provérbio budista diz que “Persistir na raiva é como apanhar um pedaço de carvão quente com a intenção de atirá-lo em alguém. É sempre quem levanta a pedra que se queima”. Quando sentimos a raiva, quem se prejudica é somente a gente. Deixar-nos controlar por emoções ruins somente nos levará a ruína pessoal. Por não controlar suas emoções, Billy Hope viveu uma tragédia em sua vida e perdeu tudo o que lhe era mais importante. Quando controlou, ganhou-a de volta.
Ficha Técnica
Título Original: Southpaw
Tempo de duração: 124 min
Ano de lançamento (EUA): 2015
Direção: Antoine Fuqua
Roteiro: Kurt Sutter
OBS: A seção Cine HTE não tem a pretensão de fazer uma crítica em si dos filmes, mas relatar e refletir sobre os ensinamentos que são abordados na história, seja baseado em fatos reais ou mera ficção.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: