HOSPÍCIO #38 – O jogo que resumiu o Hexa

Um, dois, três, quatro, cinco, seis. Até uma criança sabe contar esses números, mas a questão aqui não é bem a matemática, mas sim o futebol. O Corinthians fez um gol para cada título, como disse o Mito da lateral-direita, Edilson. 6×1 no São Paulo, o segundo maior rival do Corinthians.

O jogo praticamente resumiu o Hexa. Como foi escrito nessa seção no último post (clique aqui para conferir), reservas e titulares não têm tanta diferença nesse Corinthians, e isso foi provado no último jogo, em que 8 reservas jogaram e fizeram 6 gols, além da belíssima atuação, posicionamento e tudo que constrói um placar como esses.

Ainda por cima, Cássio pegou um pênalti. O que também resume o ano do goleiro, que foi o menos vazado do campeonato Brasileiro disputando 33 jogos e foi chamado para a Seleção. A cereja do bolo para um ano inesquecível para o arqueiro.

Um jogo inesquecível para os corinthianos e para o futebol brasileiro. Histórico, gigante, impecável, espetacular, maravilhoso; nem todos os adjetivos positivos deste mundo poderiam definir o que foi o Corinthians nesse ano. Enfim, fechamos o Hexa com chave de diamante (que vale mais do que a de ouro). Não teríamos um jogo melhor para celebrar o título.

Thiago Cunha Martins

Paulistano, alvinegro, co-fundador e Diretor-geral do HTE Sports. Jornalismo por paixão, Psicologia por vocação. Adorador do futebol e tudo o que o rodeia. Fã curioso da NFL, UFC e eventual seguidor de outros esportes

%d blogueiros gostam disto: