Backcourt NBA – Derrick Rose: protagonista ou coadjuvante?

Texto: Renato Sehn

Normalmente, em uma narrativa, a força do enredo é centrada no protagonista, aquele que sustenta o desenvolvimento da história, com tudo girando ao seu redor. Já o coadjuvante é um personagem secundário, que auxilia no desenvolvimento do enredo, mas não tem papel de destaque. Com pouco mais de um quarto de temporada da NBA, o Chicago Bulls aparece como vice-líder da conferência leste, atrás apenas do Cleveland Cavaliers, de LeBron James. A principal estrela de Chicago, Derrick Rose, sem dúvida, aparece apenas como um coadjuvante na campanha.

Com um extenso e recente histórico de lesões, o armador do time de Illinois não conseguiu ainda recuperar o antigo brilho. Retornou ao jogo mais uma vez, o que é uma façanha em razão de tantas lesões, mas o quinto jogador na lista de camisas mais vendidas da liga nos EUA, líder de venda de camisas da NBA no Brasil, ainda desperta a desconfiança de muitos sobre as chances de voltar ao protagonismo no time ou na liga.

Primeira escolha do draft 2008, Rose vem jogando em média 32.4 minutos por jogo, a maior média das últimas três temporadas, mas a terceira menor de sua carreira. Com 12.9 pontos por noite, Rose faz sua pior temporada em pontuação. Além disso, faz sua pior temporada em aproveitamento de lances livres (.720) e a segunda pior em aproveitamento de três pontos (.234), superando apenas a temporada de estreia, quando teve aproveitamento de .222 da linha de três.

Por falar em temporada de estreia, Rose terminou, em seu ano de estreia na NBA, com médias de 16.8 pontos, 6.3 assistências, .475% de aproveitamento em cerca 37 minutos por jogo. Hoje, Rose pontua menos, dá menos assistências, tem aproveitamento pior, pega menos rebotes, rouba menos a bola e comete a mesma média de turnover em relação ao ano de calouro.

Antigo protagonista do time e da NBA, Rose foi MVP na temporada 10/11 com médias de 25 pontos, 7.7 assistências e .445% de aproveitamento em 37.4 minutos por jogo. Hoje, não dá sinais de que pode voltar a ser o jogador que foi. Ao contrário, parece perder cada vez mais seu espaço tanto no time quanto na liga, apesar de ainda manter o discurso de que é um dos melhores em atividade.

Aos fãs da NBA, o restante da temporada pode reforçar ou não cenário atual: o mais jovem MVP da história, aquele que poderia levar o Bulls ao título novamente, o imparável protagonista do Bulls talvez não exista mais. Quem viu, viu. Hoje, Derrick Rose é um coadjuvante ofuscado por outras estrelas da liga.

%d blogueiros gostam disto: