Sete motivos para o rebaixamento do Vasco

Apesar da torcida escolher acreditar, o Vasco não conseguiu escapar do rebaixamento. Esta foi a terceira queda do Gigante da Colina para a Série B nos últimos oito anos. O HTE Sports listou sete motivos para “justificar” a degola do clube carioca.
Começo muito ruim no Brasileirão
Dos primeiros 30 pontos em disputa no Brasileirão, o Vasco conquistou apenas seis. Foram 10 jogos, com 6 derrotas, 2 empates e 2 vitórias. O primeiro triunfo só veio na 9ª rodada, 1×0 em cima do Flamengo. Com certeza este início conturbado foi crucial para o rebaixamento.
Não soube aproveitar o mando de campo
Fazer o dever de casa é crucial em qualquer competição, e o Vasco não soube aproveitar o mando de campo. Em 19 jogos como mandante, apenas 21 pontos conquistados, 13 gols marcados e 23 sofridos. A pior campanha como mandante do Brasileirão 2015.
Demorou a contratar sua principal estrela
Nenê, principal nome do Vasco no Brasileirão, chegou apenas em agosto e fez sua primeira partida como titular na derrota por 3×0 para o Goiás, no Serra Dourada, na 20ª rodada do Brasileirão. O camisa 10 marcou nove gols e contribuiu com cinco assistências. Talvez, se ele tivesse chegado antes…
Goleada para o Inter
A maior humilhação do clube nos jogos do Brasileirão 2015. No dia 2 de setembro, o Vasco foi até o Beira-Rio enfrentar o Internacional e perdeu pelo placar de 6×0. Um verdadeiro massacre!
Vacilo em jogos cruciais
Vamos considerar apenas os times que brigaram contra o rebaixamento (Joinville, Goiás, Avaí, Figueirense e Coritiba). Nos 10 jogos que realizou enfrentando estas equipes, o Vasco conseguiu apenas um triunfo (1×0 sobre o Avaí), empatou cinco e perdeu quatro.
Trocas de treinador
Assim como demorou para contratar um jogador que decidisse, faltou critério para escolher o treinador ideal. O time, que iniciou o Brasileirão com Doriva, campeão do Carioca, acabou perdendo o treinador após o péssimo começo de campeonato. Depois, Celso Roth assumiu e nada conseguiu fazer para melhorar a situação do time. Só com Jorginho que o Vasco voltou a jogar, mas já não havia tempo suficiente para escapar da degola.
Arrogância de Eurico Miranda
“Não tem hipótese de rebaixamento”, “Se o Vasco cair eu me mudo para Sibéria”, “O grande reforço do Vasco com eu”. Ok, é preciso ser confiante e um clube do tamanho do Vasco da Gama não pode entrar no Brasileirão pensando em rebaixamento, mas Eurico não pode ser tão arrogante. Grande parte da torcida do time não compactua com o que o presidente diz. É Eurico, o respeito voltou. Onde ele está agora?
Fotos: Reprodução / Internet

Heider Mota

Baiano, 19 anos, estudante de jornalismo e amante dos esportes. Twitter: @heiderzito

%d blogueiros gostam disto: