A tecnologia e a arbitragem no Brasil

Em 2015, lances polêmicos conseguiram, por várias vezes, roubar a cena dos lances bonitos e tomaram contas das manchetes no outro dia: “Time A é beneficiado pela arbitragem” “Time B sempre tem um pênalti” são as frases mais ouvidas/lidas durante a semana, o jogo sempre se inicia com a dúvida de quando vai ocorrer o primeiro erro do árbitro e quando vai acontecer.

Até quando vamos achar isso certo apenas pra manter a emoção do futebol, é justo um time perder o título batalhado durante o ano todo por um erro humano? É justo um time ganhar um asterisco em um título batalhado o ano todo apenas por que o juiz errou a favor do clube? É justo um homem que não recebe base alguma para um bom trabalho ser crucificado e ser considerado corrupto, ladrão apenas porque errou em um lance? A emoção do futebol sempre vai existir, a tecnologia apenas tornaria mais justa o esporte do povo.

Em setembro de 2015 diversos times solicitaram que a tecnologia fosse usada no futebol brasileiro, e as entidades uma hora ou outra terá de ceder, a tecnologia já é realidade em inúmeros esportes, juízes podem rever lances, confirmarem marcações de campo, técnicos podem desafiar lance e isso não faz com que esses esportes não tenham emoção.

Sensor para determinar se foi gol ou não, revisão de lances de pênalti, de expulsões, ou até mesmo de impedimentos, o século XXI precisa disso, não podemos viver de saudosismo, o mundo mudou e o futebol brasileiro mudou junto, temos patrocinadores na camisa, temos milhares de câmeras para crucificar os homens do apito, temos dirigentes sujos que se escondem atrás desses erros, treinadores que justificam jogos pífios apenas com frases chavões sobre arbitragem.

Emoção e justiça não se comprometem, continuaremos com a emoção, a bola que entrou, entrará e alterará o placar independente de quem viu isso ou não, Na roda de amigos, o assunto vai ser o chapéu de tal jogador, a substituição do técnico que virou o jogo, o zagueiro que salvou o gol em cima da linha e os homens de amarelo/preto voltarão para os lugares que lhes pertencem, meros coadjuvantes.

 

Renan Thierre

Antigamente comia areia e catarro, futuramente um professor de História, atualmente editor no HTE Sports e finge que entende de futebol e outros esportes.

%d blogueiros gostam disto: