Especial Super Bowl: Super Bowl I

Tendo em vista que esse ano o Super Bowl completa meio século, com a edição 50 ocorrendo no dia 07 de fevereiro, o HTE Sports preparou uma série especial de postagens sobre a final que decide o melhor time de futebol americano da temporada. Vamos recontar a história de 5 dessas decisões, simbolizando cada uma das décadas de existência da partida.

Abrimos a série com o primeiro jogo da história, o Super Bowl I.

Contexto histórico

A temporada de 1966-67 é muito importante para a história da NFL. Nela começa o período de três anos que os clubes e as ligas tiveram para adaptar-se, até que NFL e AFL se unificassem e se tornassem como nós as conhecemos hoje.

Para abordar toda a junção da NFL com a AFL, precisaríamos de uma postagem especial dedicada apenas ao tema (o que vocês acham? Boa ideia?). Para falar sobre o Super Bowl I, é necessário saber que em 1966 os proprietários de clubes da NFL e da AFL entraram em um acordo, e no dia 08 de junho o comissionário da NFL, Pete Rozelle, anunciou que a liga se tornaria uma só, dividida em duas conferências, a Nacional (NFC) e a Americana (AFC).

Porém, até que a liga funcionasse como campeonato único, que veio a acontecer em 1970, NFL e AFL continuariam a ser disputadas separadas. No final da temporada, quando ambas já tivessem seus campeões definidos, essas duas equipes disputariam um jogo entre si, decidindo assim o campeão do futebol americano profissional do ano. Nasceu assim o AFL-NFL World Championship Game, mais conhecido hoje em dia como Super Bowl I.

65590a_lg

Kansas City Chiefs

1ab9e3df1c13ffd0417d0a1995bec9021966

É seguro dizer que o auge dos Chiefs foi na década de 1960. Na temporada 1962-63, a última ainda como Dallas Texans, o time comandado pelo quarterback Len Dawson, resgatado da free agency pelo head coach Hank Stram após 5 anos sem sucesso em Pittsburgh e em Cleveland, conquistou o primeiro dos seus três títulos de campeão da AFL.

Para manter o sucesso, o agora não mais texano Kansas City Chiefs tinha uma mentalidade de apostar forte no draft. Entre 1963 e 1966 o time se fortaleceu com escolhas como o DT Buck Buchanan, o G Ed Budde, o LB Bobby Bell, o DE Aaron Brown e o RB vencedor do Heisman Trophy, Mike Garrett.

Na temporada de 1966 os Chiefs eram uma máquina. Terminaram a temporada regular com uma campanha 11-2-1, liderando a divisão oeste da AFL. Tinham o melhor ataque da liga, com 50 touchdowns marcados  e uma média de 32 pontos por jogo. Era deles a segunda melhor defesa, com 32 TDs sofridos e uma média de 19.7 pontos cedidos. Em uma liga que prioriza o jogo aéreo, Kansas City serviu de exemplo. O QB Len Dawson lançou para 26 touchdowns e apenas 10 interceptações, completando 159 das suas 284 tentativas de passes e conquistando 2.527 jardas aéreas. Seu QB rating foi de 101.7.

O destaque do time, porém, era o wide receiver Otis Taylor. Em seu segundo ano da liga, marcou 8 TDs e recebeu 58 passes, sendo o mais longo dele para 89 jardas. O fato mais marcante é que, com 1.297 jardas, Taylor se tornou o primeiro da história da franquia a passar das mil jardas aéreas em uma temporada.

Na final da AFL de 1967, os Chiefs foram a campo com o seu ataque em formação I e a sua defesa 4-3 sufocante, atropelando os Buffalo Bills pelo placar de 31-7. Os Chiefs iriam para LA, disputar o Super Bowl I contra os Green Bay Packers.

Green Bay Packers

9046651-1966_packers_1966_packers1966

Os Packers estavam vivendo seus anos de ouro sob o comando de Vince Lombardi. Em dois anos, o head coach levou o time de Wisconsin da pior campanha da história da franquia (1-10-1 em 1958) para a final da NFL (onde perdeu para os Eagles, em 1960). Os cheeseheads foram bicampeões da NFL em 1961 e 1962, graças ao forte esquema ofensivo montado por Lombardi, com ênfase no jogo corrido intenso, chamado pelos americanos de “power running”.

Nos anos de 1963 e 1964, porém, os Packers passaram por turbulências. Não conseguiram chegar aos playoffs de 1963, perderam jogadores importantes para times da emergente AFL, tiveram que assistir o sucesso do seu maior rival, Chicago Bears (que derrotou os cheeseheads em casa e fora em 1963, ano que se sagrou campeão da NFL), além do enfraquecimento do jogo corrido, que fora o carro chefe do time nas últimas conquistas. Esses foram alguns dos motivos que obrigaram Vince Lombardi a reinventar seu jogo. E ele conseguiu.

O head coach se reuniu à portas fechadas com seus jogadores e teve uma conversa com eles. Ótimo motivador, o técnico conseguiu tirar daquele grupo em declínio, um time de jogadores valentes e com sede de vitória. Principalmente a defesa, responsável por sustentar o time no ano de 1965, que mesmo tendo um ataque fraco, conseguiu se sagrar campeão da NFL mais uma vez, graças ao trabalho agressivo de defensores como o DE Willie Davies, o LB Ray Nitschke e o S Willie Wood.

Em 1966 a receita do sucesso do ano anterior iria se repetir, porém melhor. Bart Starr, o quarterback dos Packers, estava em seu auge. Lançou para 14 TDs, além de 2 conquistados com as próprias pernas, e ainda sofreu apenas 3 interceptações em todo o ano. Teve a maior média de passes concluídos da liga, 62.2, acertando 156 passes de 251 tentados, alcançando 2.257 jardas. Starr também liderou a liga com 105.0 de QB rating. Ao final do ano, foi eleito MVP, o jogador mais valioso da liga.

Somado a sólida e agressiva defesa que os Packers mantiveram, sackando QBs adversários 47 vezes e interceptando 28 passes, cedendo em média apenas 11.6 pontos por jogo, a melhor marca da liga,o time de Wisconsin conseguiu compensar o lamentável desempenho do jogo corrido, que foi o pior da liga com a média de 3.5 jardas por tentativa.

Os Packers fizeram uma campanha 12-2, perdendo apenas para San Francisco 49ers e Minnesota Vikings, por 1 e 3 pontos respectivamente. Chegaram à final da NFL e derrotaram os Cowboys com uma interceptação do safety Tom Brown, nos instantes finais do jogo. O placar estava selado 34-27, os Packers iriam para Los Angeles enfrentar o Kansas City Chiefs.

O jogo

O dia é  15 de janeiro de 1967. Na Califórnia, 61.946 pessoas foram até o LA Coliseum, enquanto em casa aproximadamente 60 milhões de pessoas assistiram pela televisão. No gramado, duas endzones pintadas de amarelo. Uma com o símbolo da AFL e a palavra “Chiefs”. A outra com o símbolo da NFL e a palavra “Packers”. A arbitragem do dia é formada por 3 árbitros da AFL e 3 árbitros da NFL, com mais 6 árbitros reservas, também sendo 3 da AFL e 3 da NFL. A bola oficial da AFL será usada quando o Kansas City Chiefs estiver atacando, a bola oficial da NFL será utilizada quando o Green Bay Packers estiver no ataque (dizia-se na época que a bola da NFL era mais gorda, e a da AFL mais difícil de ser lançada).

Para a mídia, os Packers eram favoritos para sair do duelo como vencedores, apesar dos Chiefs terem uma vantagem psicológica, afinal essa era a primeira oportunidade que a AFL tinha para provar que era superior a rival NFL. E de fato, a pressão estava em cima do time de Green Bay. Vince Lombardi, conhecido por ser um técnico muito intenso e ávido por conquistas, estava extremamente nervoso para esse jogo. Ele sentia que não estava indo apenas para trazer mais um troféu para Green Bay, Wisconsin, mas que estava indo lá para provar que a NFL era e sempre foi a liga dominante. Lombardi não escondeu dos jogadores que esse era o momento de maior pressão em sua carreira, chegando a dizer no vestiário que esse seria o maior jogo de suas vidas.

Após o hino nacional ser tocado e a banda marcial da Universidade do Arizona sair de campo, é hora dos atletas entrarem. Primeiro o Kansas City Chiefs, liderados pelo número 66, o center Wayne Frazier, até o número 16, o quarterback Len Dawson.

Em seguida entraram em campo os Packers, liderados pelo center Bill Curry, número 50, até o último homem, o quarterback Bart Starr, número 15.

Os Packers venceram o cara ou coroa e escolheram receber a bola, os Chiefs escolheram defender a endzone da esquerda de quem acompanhava o jogo pela televisão. Mike Mercer deu o chute inicial na bola, Donny Anderson recebeu na entrada da endzone e correu até a linha de 25 jardas. Começou o Super Bowl I!

Com o relógio marcando 9 minutos do primeiro quarto, ambas as equipes tinham conseguido primeiras descidas em suas primeiras posses, mas não passaram disso. Os Packers sofreram com dois sacks em Bart Starr, enquanto os Chiefs cometeram um delay of game e os passes de Len Dawson chegavam até o WR Chris Burford, que completava as recepções já fora de campo.

Em sua segunda posse de bola, a linha ofensiva de Green Bay ainda estava sofrendo com a pressão da defesa de Kansas City, porém Bart Starr conseguiu completar passes para o WR Marv Fleming, o RB Elijah Pitts e o TE Max McGee, que correu um total de 37 jardas até a endzone, marcando o primeiro touchdown da história do Super Bowl.

McGee first TDMcGee se desvencilhou do marcador e correu sozinho até a endzone.

McGee era um reserva do time dos Packers, nunca tendo começado um jogo pela equipe. De fato, em toda a temporada ele tinha a marca de 4 recepções apenas. Porém, logo no começo do jogo, o WR Boyd Dowler sentiu uma lesão no ombro e precisou ser substituído, sem chance de retornar à partida.

Don Chandler chutou o extra point dentro do gol, e o placar marcava 7 – 0 para os Packers.

Após receber a bola novamente, os Chiefs avançaram até a linha de 33 jardas do ataque, porém pararam ai. Na tentativa de field goal, a bola passou à esquerda do gol no chute do kicker Mike Mercer, o placar continuava igual. O primeiro quarto de jogo acabava com a posse para Green Bay.

Os Chiefs empataram o jogo no segundo quarto. Com uma campanha marcada por duas big plays, a primeira um passe para o RB Mike Garrett, que escapou de 4 tackles antes de cair no meio do campo, e a segunda com um passe de 30 jardas para Otis Taylor na linha de 7 jardas. Len Dawson lançou para o FB Curtis McClinton na endzone, e com o extra point bom de Mike Mercer, o placar estava empatado por 7 – 7.

Curtis McClinton TDO Touchdown de McClinton igualava tudo.

Em seguida os Packers marcaram um touchdown com um passe para Marv Fleming, que, em uma desatenção da defesa dos Chiefs, correu sozinho por metade do campo até a endzone. O TD, no entanto, foi anulado, pois uma falta de ilegal motion foi marcada contra Green Bay.

Nessa campanha Bart Starr levou os Packers até a linha de 14, quando fez o handoff para o FB Jim Taylor, que correu pela esquerda e entrou na endzone, marcando o segundo touchdown dos cabeças de queijo em LA. Após o extra point bom de Don Chandler, os Packers voltaram a liderar por 14 – 7.

Antes do segundo quarto terminar, os Chiefs marcaram um field goal de 31 jardas, indo para o intervalo com o placar indicando 14-10 para os Packers.

O chute de Don Chandler para o retorno de Bert Coan até a linha de 20 jardas abriu a segunda metade do Super Bowl I.

Na primeira posse dos Chiefs no segundo tempo, Len Dawson tentou um passe no meio de campo para o TE Alfred Arbanas, após ser pressionado por 3 defensores dos Packers. No entanto, o S Willie Wood previu a jogada e interceptou a bola, correndo para um retorno de 50 jardas, caindo na linha de 4 dos Chiefs. Na jogada seguinte, Bart Starr repetiu a jogada do segundo touchdown, fazendo o handoff para Elijah Pitts, que correu pela esquerda e entrou na endzone. Com um extra point bom, os Packers agora lideravam por 21 – 10.

Willie Wood returnO safety trouxe o momentum pro lado dos Packers na primeira jogada do segundo tempo.

Os Chiefs sentiram o golpe, e o ataque não conseguiu ir atrás do empate. Após Len Dawson ser sackado duas vezes, a bola voltou para Green Bay. Em uma campanha longa, Bart Starr levou os Packers até a linha de 13 jardas, onde lançou a bola para Max McGee na endzone, para marcar seu segundo TD no jogo, o quarto dos cheeseheads. Após o extra field convertido de Don Chandler, o placar indicava 28-10 para os Packers.

McGee second TDAntes desconhecido, McGee ficou imortalizado em dois lances.

O terceiro quarto acabou, e os Chiefs tinham apenas 15 minutos para reverter uma diferença de 18 pontos. Os Packers, porém, não facilitaram. Com um ótimo desempenho da secundária, Len Dawson teve que lidar com passes desviados e ameaças de interceptações em seus lançamentos, até que a bola fosse chutada de volta para o time de verde e amarelo.

Em uma campanha de três big plays para os TEs Carroll Dale e Max McGee, e uma corrida do FB Jim Taylor até a linha de 1 jarda, Starr entregou a bola para Elijah Pitts entrar na endzone pela segunda vez e dar o golpe final nos Chiefs. Após Don Chandler marcar o extra point, o placar estava selado: Os Green Bay Packers derrotaram os Kansas City Chiefs por 35-10. Os Packers se sagraram campeões do primeiro Super Bowl da história do futebol americano profissional.

Pós jogo

sb1count-2-webVince Lombardi recebendo das mãos de Pete Rozelle o primeiro Lombardi Trophy da história.

O prêmio individual para os campeões do primeiro Super Bowl era de 15 mil dólares, enquanto os derrotados sairiam ganhando 7,5 mil dólares.

Após a vitória sobre o Kansas City Chiefs no Super Bowl I, o Green Bay Packers se sagrou campeão do Super Bowl II em 1968, em cima do Oakland Raiders, ainda sob o comando de Vince Lombardi, agora como general manager, devido a problemas de saúde que surgiram ao longo da temporada. Após conquistar o bicampeonato, Lombardi se despediu dos Packers e se aposentou. Em 1969 retornou à atividade como head coach do Washington Redskins, conquistando um campanha positiva (7-5-2), a primeira da franquia em 14 anos. No ano seguinte, porém, a lenda chegava ao fim. Vince Lombardi faleceu no dia 3 de setembro de 1970, vítima de câncer colorretal. Após sua morte, o troféu do Super Bowl passou a se chamar Vince Lombardi Trophy, em sua homenagem.

Após o fim da era Lombardi em Green Bay, os Packers entraram na pior fase de sua história, passando por vacas magras até o começo década de 1990, quando o general manager Ron Wolf trouxe para Wisconsin o QB reserva dos Falcons, Brett Favre, e o DE free agent Reggie White, que se tornariam ídolos dos Packers reeguendo a franquia da miséria. Brett Favre levou os Packers para o Super Bowl pela primeira vez desde 1968, se sagrando campeão em 1996 em cima dos Patriots, e mais uma vez em 1997, sendo derrotado pelos Broncos de John Elway.

Do time de 1967, todos os recordes estabelecidos pela franquia vieram a ser batidos por outros jogadores ao longo do tempo. Porém, dois tiveram suas camisas aposentadas: a 15 do QB Bart Starr e a 66 do LB Ray Nitschke. Seus nomes e números agora estão imortalizados nas tribunas do Lambeau Field, estádio dos Packers em Green Bay, Wisconsin.

 O Kansas City Chiefs retornou ao Super Bowl em 1970, dessa vez para se sagrar campeão, derrotando o Minnesota Vikings por 23-7. Infelizmente essa foi a única vez que os Chiefs ganharam um Super Bowl, e a última vez que disputaram um.

Desde os anos dourados na década de 60, Kansas City foi aos playoffs apenas 14 vezes ao longo dos 45 anos. Len Dawson é o maior passador da história da franquia, com 28.507 jardas, e Hank Stram é até hoje o técnico mais vitorioso no comando dos Chiefs, com 124 vitórias no total. Do time de 1967, três jogadores tiveram suas camisas aposentadas:  a 16 do QB Len Dawson, a 78 do LB Bobby Bell e a 86 do DT Buck Buchanan.

Depois do jogo, foi descoberto que o TE Max McGee, que marcou dois touchdowns para os Packers no Super Bowl I, foi para a partida de ressaca e sem ter dormido. O jogador passou a madrugada da véspera da decisão em bares com mulheres, pois, reserva a temporada inteira, ele tinha certeza de que não iria jogar no dia seguinte.

Quer acompanhar tudo sobre a NFL? Siga no twitter nossos parceiros do @ExpressoTD e fique por dentro de tudo que ocorre na liga mais emocionante dos esportes!

%d blogueiros gostam disto: