Os tentáculos da corrupção no esporte

Depois do grande escândalo envolvendo a FIFA, maior entidade do futebol mundial, juntamente com seus dirigentes, que está sendo investigado pela justiça americana, recentemente tivemos ainda o caso de doping no atletismo russo, agora outro grande escândalo assombra o esporte mundial. No último domingo a BBC juntamente com o site americano BuzzFeed News denunciaram uma enorme rede de corrupção envolvendo o tênis mundial. Segundo eles uma suposta rede de apostas ilegais, que aliciavam jogadores em hotéis, com propinas de Usd 50 mil dólares ou mais, dependendo do torneio.

A reportagem não cita nomes, mas afirma que dentre os jogadores, existe um grupo de 16 integrantes que estão no top 50 do ranking mundial da ATP, jogando inclusive jogando o Grand Slam australiano.

O início das suspeitas são um função de um jogo entre o tenista Nikolay Davydenko contra o argentino Martín Vasallo-Arguello (em 2007), essa partida teria sido manipulada, depois de vencer o primeiro set (6-2). Davydenko perdeu o segundo (6-3) e saiu no terceiro (perdendo de 2-1) por uma lesão no pé. Suspeitamente, o prêmio aumentou para 5,4 milhões de dólares (21,5 milhões de reais), dez vezes o montante habitual.

A rede é basicamente composta por mafiosos russos e italianos.

Essas investigações não novas, a ATP já tinha passado por denúncias no passado, agora o assunto volta à tona novamente.

No primeiro dia do Australian Open o assunto sobre a manipulação de resultados foi o principal assunto, alguns tenistas já se pronunciaram sobre essas novas denúncias. O suíço Roger Federer falou logo após sua primeira vitória no torneio australiano: “Eu não sei em que ponto estão essas investigações. No passado alguns nomes foram investigados e essa história foi descartada Mas se há alguma suspeita ela deve ser levada muito a sério. Eu gostaria muito de ouvir nomes. Aí sim, teríamos nomes concretos para discutir a respeito. Não apenas quem foi abordado, mas sim gente envolvida com essa questão. Temos pessoas competentes parar apurar os fatos. É vital mantermos o esporte limpo. Não há espaço para essas pessoas no tênis”. Perguntando sobre uma possível abordagem, ele disse que nunca aconteceu com ele, mas: “Todos que souberem de algo precisam falar. Se alguém foi abordado nesse sentido precisa procurar a ATP ou alguma autoridade onde possa se sentir seguro para falar a respeito. Se eu ficasse sabendo de alguma coisa tentaria encorajar a pessoa a falar alguma coisa e se ela não quisesse acredito que eu mesmo o ajudaria e faria isso junto com a pessoa”.

O sérvio número 1 do mundo, Novak Djokovic também falou sobre essa polêmica: “Até onde sei, isso não acontece no nível top. No nível challenger, nesse tipo de torneio, talvez ocorra e talvez não”. Sempre tomarei a decisão correta. Mas só posso falar de meu próprio comportamento.

Ele ainda admitiu que em 2007 ofereceram dinheiro (200 mil dólares) para ele perder uma partida.  “Infelizmente, naquela época havia rumores e as pessoas falavam. Nos últimos seis ou sete anos, não voltei a escutar algo similar”, disse. “Naquele momento eu me senti mal porque não quero estar ligado a isso de nenhuma forma. Para mim, é um ato contrário aos valores do esporte, é um crime contra o esporte. Por sorte, nunca precisei me envolver com esse tipo de situação.”

O presidente da ATP, Chris Kermode também se pronunciou: ele disse que os “relatórios da “BBC” e do “BuzzFeed” referem-se a eventos de 10 anos atrás”. Porém, ele prometeu “investigar qualquer informação nova”.

Aguardamos que os nomes sejam revelados e que todas as investigações sejam concluídas, para que práticas como essas não manchem um esporte tão espetacular como o tênis.

%d blogueiros gostam disto: