Rugby Nacional: Entrevistamos Edna Santini, da Seleção Brasileira de Rugby Sevens

Orgulhosa, Edna posa com a medalha de bronze conquistada no Pan de Toronto 2015

O rugby é um esporte de contato onde os mais fortes e altos e rápidos se destacam, correto? Errado!

Para desmistificar esta frase, entrevistamos um dos destaques da talentosíssima geração do rugby sevens brasileiro feminino: a meio-scrum do Brasil e do São José dos Campos Edna Santini. Com seus 1,53m e 55kg, ela conseguiu a atenção do mundo do rugby e foi destaque em muitos jogos pela seleção, ajudando suas companheiras a conseguirem alguns títulos sul americanos e a derrotar fortes seleções nas etapas disputadas nos Sevens World Series, a série mundial da modalidade. Chamada também de Pocket Rocket e de Speedy Santini, a caipira é a verdadeira expressão de trabalho duro, inspiração, perseverança e tudo isso com o sorriso no rosto.

Para abrir esta entrevista, um vídeo que gravei dela e da Capitã Júlia Sardá no Sul Americano de 2012, na Gávea(a qualidade tá horrível, mas não tem problema):

Edna Santini e Júlia Sardá – Sul Americano 2012: Amazonas Octacampeãs!

Vinícius Guedes/HTE Sports: Bom, eu já te acompanho há algum tempo, acho que desde 2012, naquele sul americano lá na Gávea, onde vocês foram octacampeãs. Depois de 2012 vocês venceram mais dois títulos sul americanos e tiveram boas participações em Séries de Sevens. De todos estes bons momentos, você tem um mais marcante, um divisor de águas, que te fez repensar o modo que a seleção está sendo conduzida?
Edna Santini: Acredito que o Pan foi um grande ponto alto do rugby, participar pela primeira vez e sair com uma medalha de bronze foi sensacional.

Veja abaixo alguns destaques daquela conquista, em Toronto, em 2015

Vinícius Guedes/HTE Sports: Claramente, você é um dos pilares da Seleção Feminina de Sevens, mesmo não sendo a (principal) capitã. Você já presenciou algumas (muitas) escolhas de capitãs durante os diversos torneios que disputou. Você poderia dizer como é feita essa escolha ?

Edna Santini: Hoje em dia não temos uma capitã fixa, em cada torneio escolhemos uma Capitã e vice.

Edna e o destaque da World Rugby em “Estrelas que devemos prestar atenção”
Vinícius Guedes/HTE Sports: O rugby sevens retorna aos jogos olímpicos em grande estilo, aqui no Rio de Janeiro. Já vimos a seleção brasileira vencer grandes seleções, incluindo China e Fiji no mesmo torneio, além da África do Sul na temporada passada e o Pan, obviamente, com a medalha de bronze. Quais são as suas expectativas para este torneio olímpico?

Edna Santini: Vai ser uma grande oportunidade para nós atletas, poder participar de um evento tão grande como este e no Brasil com a torcida vai ser uma experiência única. Estamos nos preparando da melhor forma possível para apresentar um rugby de alto nível e agradar a todos e é claro tentar uma medalha. Não vamos só para participar, vamos para disputar, vamos buscar o melhor resultado possível!
Vinícius Guedes/HTE Sports: Agora falando de você: acompanhamos a sua trajetória, desde a lesão até a total recuperação (podemos dizer que você já está 100% de novo? -se bem que um rugbier nunca joga 100% inteiro, não é mesmo?) na matéria especial que comoveu o país numa manhã de domingo e eu assisti aos teus jogos na praia, em dezembro, pelo Super Desafio BRA de Beach Rugby, que terminou com a seleção feminina em primeiro lugar e a masculina em quarto. Você já se sente segura em realizar todos os movimentos de corrida, sidesteps e fixação de jogadas, como limpeza de rucks e tirar a bola do chão, por exemplo? Como é a sua rotina especial de treinos?

 Confira aqui a reportagem Mulheres Espetaculares, no programa Esporte Espetacular, da Rede Globo

Edna Santini: Sim, eu estou totalmente recuperada e fazendo todos os movimento, com algumas limitações porque a placa provoca isso, mas nada que me prejudique. E como disse, nunca estamos 100%, sempre tem uma dorzinha aqui ou outra ali. Essa é a vida de qualquer atleta de alto rendimento. Eu treino todos os dias segunda, quarta e sexta das 8h às 15h. Esses são dias mais intensos. Às terças e quintas das 8h às 12h30 com atividades mais leves e de recuperação.

Vinícius Guedes/HTE Sports: WOW! Você é uma máquina! Para fechar, uma perguntinha pra descontrair: Quem é a jogadora da seleção com quem você tem mais afinidade? Aquela de dividir quarto, de fazer as zoeiras no hotel durante a concentração. E quem é a jogadora que mais jogou ao teu lado (que você lembra) nesses anos todos de Seleção Brasileira?

Edna Santini: Ah eu tenho afinidade com várias jogadoras. Por exemplo, a Luiza (Campos) divide o quarto comigo, mas eu brinco e converso bastante com a Bianca(Santos), além das meninas do São José que são parceiras de Clube. Acho que a Paulinha(Ishibashi, eleita a Atleta do Ano do Rugby oferecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB)) deve ter sido a menina que mais jogou comigo, mas tem outras também. Bem, acho que tá meio balanceado hahahaha

 

Ficha:

Edna Santini, Edninha, Pocket Rocket, Speedy Santini

Clubes: São José Rugby (SP) e Seleção Brasileira(Amazonas, Tupis, Yaras)

Nascimento: 15/07/1992 (23 anos)
Naturalidade: São José Dos Campos/SP
Altura: 1,53m
Peso: 55KG

Edna, o HTE Sports está torcendo por você e por todas as suas companheiras de seleção neste ano de 2016! Que venham muitos resultados positivos e medalhas. E que todo o trabalho duro seja recompensado da melhor forma possível!

Vinícius Guedes

Administrador de Empresas pela UFRRJ, Segurança Privado, Árbitro de Rugby pela RioRefs, jogador pelo Itaguaí Rugby. Gosta de esportes, filmes, séries e muita música.

%d blogueiros gostam disto: