Wild Card – Jogos de domingo

O domingo marcou os confrontos da NFC no Wild Card Round. Jogos que tiveram muita influencia do clima  e que mostraram o quanto os detalhes fazem a diferença em um confronto de playoff.

Seattle Seahawks 10 x 9 Minessota Vikings

Jogo de Playoff é isso. Defesas fortes, temperaturas baixas e que influenciam nas decisões dos treinadores e na produtividade das equipes e finais emocionantes. O confronto entre Seattle e Vikings teve tudo isso no frio de Mineápolis. O Vikings começou na frente, com boas campanhas, mas não conseguia entrar na endzone. Até o começo do último quarto, o placar mostrava 9 x 0 para a equipe de Minessota. Foi quando o jogo começou a virar para o Seahawks. Russel Wilson foi pressionado e não conseguiu agarrar um snap, mas recuperou-se na mesma jogada para um passe que deixou a equipe na beira da endzone. Logo em seguida, em passe para Doug Baldwin, reduziu a diferença para 9 x 7. Com a bola em mãos, o Bridgewater colocou a bola na mão de Adrian Peterson, que pouco produziu no jogo, e o RB sofreu um fumble. Wilson mostrou sua inteligência se livrando da bola e evitando um sack certo, deixando sua equipe ainda em condições de um FG para a virada, que ocorreu. O ataque aéreo do Vikings pouco conseguia, até que acionaram na campanha decisiva o TE Kyle Rudolph. Com uma falta e uma recepção gigante, bastava queimar o cronometro e deixar para Blair Walsh um simples FG de 22 jardas para a vitória. Mas não foi nessa noite. Incrivelmente Walsh errou um FG de fácil conversão e restou para Wilson apenas ajoelhar para comemorar a classificação.

O Seahawks encara agora no Divisional Round o Carolina Panthers, em Charlotte. Apesar da ótima campanha na temporada regular do Panthers (melhor da NFL), não arrisco a dizer que esse confronto tem favorito. A defesa do Seahawks em pós-temporada se transforma e Russel Wilson, muitas vezes subestimado, mostra muita inteligência para ler o jogo. A única certeza é que será um grande jogo.

Green Bay Packers 35 x 18 Washington Redskins

No confronto que fechou a rodada de Wild Card, o Washigton Redskins não conseguiu segurar o Green Bay Packers, mesmo jogando no Fedex Field. O primeiro quarto da partida até foi dominado pelo time da capital, que pressionou muito o QB Aaron Rodgers, forçou um sack dentro da própria endzone adversária no primeiro drive do rival para abrir 2×0. E vimos como os detalhes podem fazer a diferença à partir desse ponto. Na campanha seguinte, DeSean Jackson chegou a entrar na endzone, mas a bola não. Com uma primeira para o TD na linha de 1 jarda, Kirk Cousins não conseguiu fazer a equipe sair com um TD e cometeu uma falta tola de Delay of game na terceira descida, contentado-se com o FG. Ainda recebeu a bola de volta durante o primeiro período e chegou ao TD em passe para o TE Jordan Reed, mas com o erro no extra-point, o placar que poderia estar 16 x 0 marcava somente 11 x 0 no começo do quarto período. E se você dá chance de recuperação para Aaron Rodgers, ele castiga. O segundo período foi dominado pelo Packers, anotando 17 pontos sem resposta do Redskins. O time de Kirk Cousins até esboçou uma reação no terceiro período, com um TD terrestre do QB, mas Rodgers dominou também o segundo tempo abrindo logo no começo do último período diferença de duas posses de bola com o placar em 32 x 18, com mais dois TDs. Ainda teve tempo para mais um FG que deu números finais ao confronto e a classificação para o Packers.

Green Bay agora se prepara para encarar o Arizona Cardinals, em Phoenix. Liderado pelos veteranos Carlson Palmer e Larry Fitzgerald no ataque e o ótimo Patrick Peterson na defesa, será um duelo também imprevisível pela vaga na final da NFC. Embora o time de Arizona esteja mais “inteiro”, não dá para desconfiar nunca de um time que tem A-Rod no comando.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: