HOSPÍCIO #45 – Vamos embora para Bogotá

Como diria a música do grande Criolo, vamos embora para Bogotá. Nesta quinta-feira, após o 2×1 do Corinthians sobre o Capivariano, que manteve o 100% no Paulistão, o Santa Fe se classificou para a fase de grupos fazendo 3×0 (6×1 no agregado) no Oriente Petrolero.

10955862_764824193603459_1207658057_n (1)

 

O Santa Fe sobrou nos dois jogos da primeira fase da Libertadores. O grande forte do time colombiano são as bolas paradas, principalmente as cobranças de escanteio. Nos dois jogos, o jogador de destaque foi Yerry Mina, que em 3 dessas bolas paradas fez metade dos 6 gols agregados do Santa Fe.

Outros jogadores a se prestar atenção é o centroavante dos colombianos, Ibargüen e o meio-campo Jonathan Gomez.

O Santa Fe, porém, também mostrou algumas fraquezas. Fora dos seus 2.640 metros de altitude de Bogotá (o qual o Corinthians terá que se submeter) o time mostrou certo cansaço no final do segundo tempo do jogo em Santa Cruz de la Sierra, e permitiu um gol do Oriente Petrolero. Outro ponto fraco, observado nos dois jogos – principalmente no primeiro -, é o lado esquerdo da defesa, que Balanta (lateral-esquerdo) por vezes não recompõe ou demora muito a recompor quando apóia o ataque. Pelo menos nos dois jogos da primeira fase, o meio-campo do Santa Fe parece não ser tão criativo, apesar de ser rápido nas transições defesa-ataque.

Esperamos que assim como na música de Criolo – que, especialmente nessa parte, faz alusão ao poema “Vou-me embora para Pasárgada” – ir para Bogotá seja melhor do que em Pasárgada. Porém, que não seja ilusão o futebol que o Corinthians apresente

Thiago Cunha Martins

Paulistano, alvinegro, co-fundador e Diretor-geral do HTE Sports. Jornalismo por paixão, Psicologia por vocação. Adorador do futebol e tudo o que o rodeia. Fã curioso da NFL, UFC e eventual seguidor de outros esportes

%d blogueiros gostam disto: