Reformulação Corintiana

Texto: Renan Thierre

Em 2015, um inicio arrasador que acabou tragicamente com duas eliminações seguidas, Palmeiras pelo Paulistão e Guaraní-PAR pela Copa Libertadores, logo em seguida se inicia a debandada, Fábio Santos para o México e Guerrero e Sheik para o Flamengo; já se ouvia papo de Série B para o time do Parque São Jorge: “Com Malcom e Vágner Love no ataque, a Série B é logo ali” diziam, mas se esqueceram do trunfo corintiano, Adenor Leonardo Bacchi, ou somente Tite, o técnico não pediu contratações, não reclamou para a imprensa, chamou a responsabilidade para si mesmo.

O resultado de 2015 todo mundo sabe qual foi, Campeão Brasileiro com um futebol bonito de se ver, o torcedor corintiano parecia uma criança, que apenas babava vendo o time ganhar com toque de bola envolvente e jogadas bem trabalhadas. Até que veio os chineses e tomaram o doce da boca da criança, e foi com uma facilidade incrível, fez até o time ter saudades da debandada de 2015.

Os 11 titulares campeões brasileiros: Cássio; Fágner, Felipe, Gil e Uendel; Ralf, Elias, Jadson e Renato Augusto; Malcom e Vágner Love.

Os 11 titulares pós-chineses: Cássio; Fágner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Rodriguinho e Romero; Lucca e Danilo.

Um tenebroso 2016 se aproximava, os rivais riam e riam a cada notícia que saia de um corintiano abandonando a barca, Love e Malcom partiram para a França, Mônaco e Bordeaux respectivamente. Até mesmo o corintiano mais otimista deu uma fraquejada, a diretoria repôs, para Gil, chegou Balbuena, para Ralf chegou Williams, para Renadson chegaram Giovanni Augusto e Guilherme, para Malcom e Love, chegaram Marlone e André.

A qualidade da reposição? Questionável. Mas quem naquele time de 2015 não chegou no Corinthians questionado? Todos passaram pelas mãos de Tite, que agora tem o maior desafio de sua carreira. Tite mais uma vez não foi a imprensa reclamar, não tirou o corpo fora, manteve o padrão tático e a cada jogo o time se mostra mais preparado.

Corinthians não entra como favorito em nenhuma das competições que disputará em 2016, mas nas mãos de Tite não se pode duvidar de nada.

%d blogueiros gostam disto: