Reformulação Corintiana

Em 2015, um inicio arrasador que acabou tragicamente com duas eliminações seguidas, Palmeiras pelo Paulistão e Guaraní-PAR pela Copa Libertadores, logo em seguida se inicia a debandada, Fábio Santos para o México e Guerrero e Sheik para o Flamengo; já se ouvia papo de Série B para o time do Parque São Jorge: “Com Malcom e Vágner Love no ataque, a Série B é logo ali” diziam, mas se esqueceram do trunfo corintiano, Adenor Leonardo Bacchi, ou somente Tite, o técnico não pediu contratações, não reclamou para a imprensa, chamou a responsabilidade para si mesmo.

O resultado de 2015 todo mundo sabe qual foi, Campeão Brasileiro com um futebol bonito de se ver, o torcedor corintiano parecia uma criança, que apenas babava vendo o time ganhar com toque de bola envolvente e jogadas bem trabalhadas. Até que veio os chineses e tomaram o doce da boca da criança, e foi com uma facilidade incrível, fez até o time ter saudades da debandada de 2015.

Os 11 titulares campeões brasileiros: Cássio; Fágner, Felipe, Gil e Uendel; Ralf, Elias, Jadson e Renato Augusto; Malcom e Vágner Love.

Os 11 titulares pós-chineses: Cássio; Fágner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Rodriguinho e Romero; Lucca e Danilo.

Um tenebroso 2016 se aproximava, os rivais riam e riam a cada notícia que saia de um corintiano abandonando a barca, Love e Malcom partiram para a França, Mônaco e Bordeaux respectivamente. Até mesmo o corintiano mais otimista deu uma fraquejada, a diretoria repôs, para Gil, chegou Balbuena, para Ralf chegou Williams, para Renadson chegaram Giovanni Augusto e Guilherme, para Malcom e Love, chegaram Marlone e André.

A qualidade da reposição? Questionável. Mas quem naquele time de 2015 não chegou no Corinthians questionado? Todos passaram pelas mãos de Tite, que agora tem o maior desafio de sua carreira. Tite mais uma vez não foi a imprensa reclamar, não tirou o corpo fora, manteve o padrão tático e a cada jogo o time se mostra mais preparado.

Corinthians não entra como favorito em nenhuma das competições que disputará em 2016, mas nas mãos de Tite não se pode duvidar de nada.

Renan Thierre

Antigamente comia areia e catarro, futuramente um professor de História, atualmente editor no HTE Sports e finge que entende de futebol e outros esportes.

%d blogueiros gostam disto: