Rugby Internacional: Veja tudo que rolou na primeira rodada do Americas Rugby Championship 2016 #ARC2016

O fim de semana foi muito produtivo para o mundo do rugby!! Tivemos Six Nations em três lugares no mundo: Nas Américas, na Europa com os homens e também na Europa com as mulheres! Vejamos o que rolou por aqui:

canada-phil-mackenzie-uruguay-arc-2016

A estreia canadense no ARC2016 foi  a melhor possível, conquistando o máximo de pontos que poderia ao vencer o Uruguai por 33-17 e marcando cinco tries. Com tries de Phil Mackenzie, dois de Dan Moor, Nick Blevins e Alistair Clark fechando os cinco tries, Canadá larga na frente de todos no ARC2016 (os favoritos Argentina e Estados Unidos empataram e você confere aqui como foi o jogo) e se prepara para o próximo confronto, contra os Estados Unidos.

O primeiro tempo foi todo do Canadá, com três tries marcando o domínio e a imposição física em cima dos nossos vizinhos. A base uruguaia é feita pelos jogadores históricos que conquistaram sua vaga na RWC2015, como Rodrigo Silva, Echeverría, Mathias Beer, entre outros. Os uruguaios são guerreiros e merecem nosso reconhecimento, além de fazerem parte de um patamar que nós, brasileiros, almejamos conquistar no XV. O primeiro tempo terminou com  tries de Moor, Mackenzie e Blevins, além das conversões de McRorie. Os Teros diminuíram com um penalty try e conversão de Rodrigo Silva.

Já o segundo tempo veio com um equilíbrio, com as duas equipes se estudando mais e o Canadá mostrando que diminuiu o ritmo conseguiu o quarto try e o ponto bônus, com o estreante Alistair Clark, com a resposta Tero de Alejandro Nieto, mas o quinto canadense veio avassalador com o segundo de Moor. Cinco minutos depois o try de Leandro Leivas, dando número finais ao jogo: 33-17 para o Canadá, agora líder do ARC2016.

Canadá 33 – 17 Uruguai
Tries – D. Moor 2, P. Mackenzie, N. Blevins, A. Clark                  Tries – Penalty, A. Nieto, L. Leivas
Cons – G. McRorie 4                                                                            Cons – R. Silva

Canadá: 1 H. Buydens (C), 2 R. Barkwill, 3 J. Ilnicki, 4 P. Ciulini, 5 C. Morrison, 6 K. Gilmour, 7 L. Rumball, 8 C. Panga, 9 G. McRorie, 10 G. Bowd, 11 D. Moor, 12 N. Blevins, 13 M. Samson, 14 P. Mackenzie, 15 P. Parfrey.

Reservas: E. Howard, R. Brouwer, K. Baillie, M. Hamson, A. Ferguson, D. Maguire, D. Sears-Duru, A. Clark.

Uruguai: 1 M. Sanguinetti, 2 C. Arboleya, 3 J. Echeverría, 4 F. Lamanna, 5 D. Magno, 6 J.M. Gaminara (C), 7 M. Beer, 8 A. Nieto, 9 G. Lijtenstein, 10 R. Silva, 11 G. Mieres, 12 A. Román, 13 A. Vilaseca, 14 L. Leivas, 15 S. Martínez.

Reservas: R. de Mula, F. Gattas, G. Kessler,  R. Mones, G. Soto, M. Palomeque, F. Gattas, S. Arata, P. Deal.

Em um jogo eletrizante, USA Eagles empatam com a Argentina XV

photo credit: Norma Salinas
James Bird, apesar dos erros, garantiu o empate para os Eagles

Em um jogo eletrizante que acabou no empate por 35-35 diante de mais de 10.000 pessoas no BBVA Compass Stadium em Houston, Texas, os norteamericanos mostraram que vieram ao ARC2016 para vencerem e encontraram uma Argentina XV sólida, incansável e muito disciplinada pelo técnico Pablo Bouza. Nos 80 minutos de jogo houve uma larga vantagem norteamericana, troca de liderança no placar(sete no total), belas jogadas e para os dois lados o alívio de não terem perdido.

No primeiro tempo, as investidas norteamericanas foram com os chutes de James Bird e o try de Taku Ngwenya(jogador do Biarritz, da França), deixando o jogo em 13-0 já nos 10 primeiros minutos. Tomás Carrió marcou seu try logo em seguida e Domingo Miotti converteu para diminuir para a Argentina XV. Em seguida, Rodrigo Báez marcou mais um try e Miotti converteu, levando os argentinos à liderança pela primeira vez. O fim do primeiro tempo trouxe mais penais por Bird e a resposta argentina, com Joaquín Paz desta vez, terminando em 21-16.

O segundo tempo começou como terminou o primeiro: trocas de posse, muita intensidade e as duas equipes batalhando por cada centímetro de campo e muita pressão dos dois lados. Os norteamericanos conseguiram um line na linha de 5 metros, forçaram dois penais até que Todd Clever, em seu retorno à seleção, marcou o try que empatou o jogo em 21-21.

Aos 24 do segundo tempo, o scrum-half Gonzalo Bertranou escapa em um penal e se esgueira para a linha, com Miotti anotando mais uma conversão e levando o jogo para 28-21 e a pressão continuou: mesmo pressionados os norteamericanos conseguiram interceptar uma bola com Cam Dolan, que correu o campo inteiro para marcar mais um try e empatar novamente o jogo. Após mais um blitz dos Eagles, Eric Fry rompe a linha e marca mais um try, levando o jogo para 35-28 com apenas cinco minutos para o fim.

Nos minutos finais o jogo ficou muito corrido e muitas chances foram desperdiçadas dos dois lados, com Carrió conseguindo seu segundo try e  e empatando o jogo em 35-35 com a conversão de Novillo. As duas equipes até tentaram, mas não conseguiram acertar seus penais nos minutos finais e o jogo ficou por isso mesmo.

USA Eagles 35 -35 ARGENTINA XV
Tries – T. Ngwenya, T. Clever, C. Dolan, E. Fry              Tries – T. Carrió 2, R. Báez, J. Paz, G. Bertranou
Cons – J. Bird 3                                                                      Cons – D. Miotti 4, J. Novillo
Pens – J. Bird 3

USA Eagles: 1 E. Fry, 2 J. Taufete’e, 3 C. Baumann, 4 B. Orth, 5 G. Peterson, 6 C. Dolan, 7 T. Clever, 8 D. Tameilau, 9 N. Kruger, 10 J. Bird, 11 K. McGowan, 12 L. Filikitonga, 13 C. London, 14 T. Ngwenya, 15 B. Scully (C);

Reservas: J. Hilterbrand, J. Eloff, M. Sosene-Feagai, O. Kilifi, B. Landry, A. Gletzer, M. Te’o, J. Anderson.

ARGENTINA XV: 1 R. Tejerizo, 2 S. Iglesias Valdez, 3 F. Arregui, 4 M. Kremer, 5 I. Larrague, 6 R. Báez (C), 7 L. Bavaro, 8 S. Montagner, 9 G. Bertranou, 10 D. Miotti, 11 T. Carrió, 12 J. Paz, 13 J. Cappiello, 14 M. Orlando, 15 P. Mercerat.

Reservas: F. Brarda , G. Baldunciel, L. Bazán, C. Bartoloni, P. Ortega, J. Deheza, J. Novillo, J. Estellés.

 

Tupis estreiam bem, mas Chile vence

Nossos queridos Tupis mostraram que estão se entrosando e têm tudo para continuarem crescendo. As partidas pelo Sul-Americano e pela repescagem, além dos amistosos com a Alemanha, em 2015, mostraram isso. A estreia foi contra um velho conhecido nosso, os Condores chilenos, uma equipe experiente e bem arrumada pelo técnico Paul Healy e o resultado foi muito melhor do que esperávamos, apesar da derrota: 25-22.

O primeiro tempo foi apertado e o primeiro try foi brasileiro, após um penal convertido para os Condores: Daniel Sancery, que joga fora do Brasil(você conferiu a convocação aqui) marcou o try aos 7 minutos e David Harvey converteu. O primeiro tempo terminou com dois tries chilenos e um brasileiro: Zunino aos 23 e de la Fuente aos 39 para os donos da casa e Daniel Sancery aos 7, com penais de Nordenflycht para os Condores aos 4 e aos 17 minutos e conversões aos 24 e aos 40 do primeiro tempo, que terminou em 20-7 para Los Cóndores.

No segundo tempo, o irmão de Daniel, Felipe, marcou mais um try para os Tupis, onde Harvey errou a conversão e diminuiu a diferença para 20-12. O Brasil foi subindo as escadas vagarosamente, degrau por degrau, até igualar o jogo de base e as jogadas fixas. Enquanto Jardel segurava no scrum, João da Ros, o Ige, atropelava a defesa chilena.

Com o jogo igualado, o Chile conseguiu mais um try, desta vez com José Larenas. Foi aí que o Brasil mostrou as garras e correu atrás do placar, com um penal e mais um try, agora de Lucas Tranquez, o Zé. O jogo de mão chileno sumiu, os rucks já não eram mais os mesmos e o Brasil tinha tudo para continuar correndo atrás do placar e, quem sabe, até vencer a partida, mas o tempo era curto e o try de Zé com a conversão de Harvey deu números finais ao jogo: 25-22 para os Cóndores que respiravam aliviados o fim. Do lado brasileiro, a certeza de que podem fazer mais e melhor na próxima partida, contra os Teros uruguaios.

Chile 25-22 Brasil

Tries: Ítalo Zunino, Francisco de la Fuente, José Larenas     Tries: Daniel Sancery, Felipe Sancery, Lucas Tranquez

Cons: Matías Nordenflycht 2                                                        Cons: David Harvey 2

Pens: Matías Nordenflycht 2                                                         Pens: David Harvey

Chile: 1 Ramón Ayarza, 2 Rodrigo Moya, 3 Sergio de la Fuente, 4 Nikola Bursic, 5 Matías Cabrera, 6 Cristóbal Niedmann, 7 Javier Richard, 8 Benjamín Soto (C), 9 Beltrán Vergara, 10 Cristián Onetto, 11 Ítalo Zunino, 12 Francisco de la Fuente 13 Matías Nordenflycht 14 José Ignacio Larenas 15 Leonardo Montoya.

Reservas: 16 Tomás Dussaillant, 17 Claudio Zamorano, 18 Luis Sepúlveda, 19 Felipe Tissot, 20 Ignacio Silva, 21 Juan Pablo Perrotta, 22 Pablo Casas, 23 Matías Contreras, Raimundo Piwonka.

Brasil: 1 Wilton Rebolo, 2 Daniel Danielewicz (C), 3 Jardel Vettorato, 4 Lucas Piero Moraes, 5 Luis Vieira, 6 Mark Jackson, 7 João Luiz da Ros, 8 Nick Smith, 9 Johannes Cremer, 10 David Harvey, 11 Lucas Tranquez, 12 Moisés Duque, 13 Felipe Sancery, 14 Stefano Giantono, 15 Daniel Sancery

Reservas: 16 Yan Rosetti, 17 Lucas Andrade, 18 Vitor Ancina, 20 Arthur Bergo, 21 Martin Schaefer, 22 Lucas Duque, 23 Laurent Bourda-Couhet.

Confira os próximos confrontos e a tabela do ARC2016 aqui.

Vinícius Guedes

Administrador de Empresas pela UFRRJ, Segurança Privado, Árbitro de Rugby pela RioRefs, jogador pelo Itaguaí Rugby. Gosta de esportes, filmes, séries e muita música.

%d blogueiros gostam disto: