Rugby Internacional: Resultados da primeira rodada do Six Nations 2016 #SN2016

No primeiro jogo de Eddie Jones, uma vitória sólida

George Kruis marca o primeiro try da era Jones. A criança tem 1,98m

A expectativa era enorme em torno do trabalho do novo técnico da Inglaterra, Eddie Jones, e ele entregou o que prometeu. Já nos primeiros lances de jogo, vimos uma Inglaterra mudada, com atitude, força, vontade e sangue nos olhos para apagar o vexame da RWC2015 em casa. Não demorou para o primeiro try aparecer, de George Kruis, que escapou do tackle escocês na cara do ingoal e apoiou a bola com seus 1,98m de envergadura. Owen Farrel, agora desempenhando a função de primeiro centro, converteu o try. O primeiro tempo foi mais apertado e vimos uma Inglaterra mais incisiva, com boas investidas de Robshaw, Haskell e Billy Vunipola, a terceira linha mais pesada da história da Rosa Vermelha a começar uma partida.

Do lado escocês, Vern Cotter estava seguro de que faria uma boa partida, ainda carregando os louros da boa campanha da seleção na RWC2015(o melhor europeu) e com as mesmas peças, algumas envelhecidas e outras com muito ainda a fornecer ao selecionado. Os destaques ficaram, como sempre, como Richie Gray, Greig Laidlaw e Finn Russell. Infelizmente, Hogg e Bennet estavam tímidos e não desempenharam o seu melhor jogo.

O segundo tempo veio como uma ducha de água fria para a Escócia, que tinha momentos de glória e jogo arrumado, com bom jogo de base e muita disposição para segurar a terceira linha impiedosa. David Denton e Richie Gray continha os avanços de Ford, Watson e Farrell, mas não era o suficiente e, numa escapada na direita, com a participação do monstro Billy Vunipola, que demonstrou um ótimo jogo de mão, a bola sorriu para Jack Nowell mergulhar na ingoal e aguardar o fim da partida, com alguns penais convertidos por Farrell.

Com a vitória, a Inglaterra conquistou o primeiro troféu do ano, a Calcutta Cup, simbolizando o confronto entre as duas seleções.

O novo capitão Dylan Hartley exibe a Calcutta Cup

Escócia: 15Stuart Hogg, 14Sean Maitland, 13Mark Bennett, 12Matt Scott, 11Tommy Seymour, 10Finn Russell, 9Greig Laidlaw (C), 1Alasdair Dickinson, 2Ross Ford, 3Willem Nel, 4Richie Gray, 5Jonny Gray, 6John Barclay, 7John Hardie, 8David Denton;
Reservas: 16Stuart McInally, 17Gordon Reid, 18Zander Fagerson, 19Tim Swinson, 20Blair Cowan, 21Sam Hidalgo-Clyne, 22Duncan Weir, 23Duncan Taylor.

Inglaterra:

15Mike Brown, 14Anthony Watson, 13Jonathan Joseph, 12Owen Farrell, 11Jack Nowell, 10George Ford, 9Danny Care, 1Joe Marler, 2Dylan Hartley (c), 3Dan Cole, 4Joe Launchbury, 5George Kruis, 6Chris Robshaw, 7James Haskell, 8Billy Vunipola;

Reservas: 16Jamie George, 17Mako Vunipola, 18Paul Hill, 19Courtney Lawes, 20Jack Clifford, 21Ben Youngs, 22Ollie Devoto, 23Alex Goode.

Escócia 9 – 15 Inglaterra

Placar de primeiro tempo: 6 – 7

Data: 6 de Fevereiro de 2016, 16:50 local, 14:50 Brasília
Estádio: Murrayfield, Edinburgh
Público: 67.500
Pens: Laidlaw 3         Tries: Kruis, Nowell
Cons: —                       Cons: Farrell
Pens: —                        Pens: Farrell

De técnico novo, a imprevisível França quase perde para a contestadíssima Itália

Gaël Fickou tackleia dois italianos

Se a pressão em cima de Eddie Jones era enorme e ele conseguiu entregar o esperado, este jogo foi mais uma prova de fogo para os dois técnicos: de um lado, o novo técnico francês, Guy Novès, ex-treinador do Toulouse há uns tempos. Do outro, Jacques Brunel e a pressão do mundo todo querendo tirar a Itália do Six Nations para que a Geórgia entre, ou para que vire Seven Nations, com a inclusão da Geórgia. Os resultados apresentados pelos Azzurri não são satisfatórios e cada vez mais o coro se endossa.

O novo técnico francês quase passa por um vexame ao ver a Itália abrir oito pontos de vantagem e seus comandados correr atrás do placar e saírem vitoriosos na estreia do SN2016. O placar final foi de 23-21.
Desde 2012, França venceu todos os jogos contra a Itália em casa, no Stade de France, mas por alguns momentos a 9ª vitória estava muito duvidosa, mesmo com um belo try do fijiano Virimi Vakatawa.

O jogo começou bem aberto, com trocas de penais de um lado ou do outro, até que chegou no momento derradeiro um penal convertido de Jules Plisson e um drop-goal perdido de Sergio Parisse(além de um drop-goal de Carlo Canna “do meio da rua” e uns penais relativamente fáceis perdidos) deram números finais ao confronto.

Os tries franceses vieram de Vakatawa, Damien Chouly e Hugo Bonneval. Já os da Itália, com Parisse, em sua 115ª partida, e Carlo Canna. Como a partida foi no Stade de France, a segurança foi reforçada e um clima pesado se instalou no ambiente, devido aos ataques terroristas de 13 de Novembro.

Apesar da derrota, Sergio Parisse foi eleito um dos melhores do fim de semana(mais uma vez – “jogamos como nunca, perdemos como sempre”).

França: 15Maxime Medard, 14Hugo Bonneval, 13Gael Fickou, 12Jonathan Danty, 11Virimi Vakatawa, 10Jules Plisson, 9Sebastien Bezy, 1Eddy Ben Arous, 2Guilhem Guirado, 3Rabah Slimani, 4Paul Jedrasiak, 5Yoann Maestri, 6Wenceslas Lauret, 7Damien Chouly, 8Louis Picamoles;

Reservas: 16Camille Chat, 17Uini Atonio, 18Jefferson Poirot, 19Alexandre Flanquart, 20Yacouba Camara, 21Maxime Machenaud, 22Jean-Marc Doussain, 23Maxime Mermoz.

Itália: 15David Odiete, 14Leonardo Sarto, 13Michele Campagnaro, 12Gonzalo Garcia, 11Mattia Bellini, 10Carlo Canna, 9Edoardo Gori, 1Andrea Lovotti, 2Ornel Gega, 3Lorenzo Cittadini, 4George Fabio Biagi, 5Marco Fuser, 6Francesco Minto, 7Alessandro Zanni, 8Sergio Parisse;

Reservas: 16Davide Giazzon, 17Matteo Zanusso, 18Martin Castrogiovanni, 19Valerio Bernabo, 20Dries van Schalkwyk, 21Guglielmo Palazzani, 22Kelly Haimona, 23Luke McLean.

França 23 – 21 Itália

Placar de primeiro tempo: 10 – 8

Data: 6 de Fevereiro de 2016, 15:25 local, 13:25 Brasília
Estádio: Stade de France, Paris
Público: 64.000
Tries: Bonneval, Chouly, Vakatawa     Tries: Canna, Parisse
Cons: Plisson                                            Cons: Canna
Pens: Plisson 2                                         Pens: Canna, Haimona
Drops: —                                                    Drops: Canna
No confronto entre as duas melhores seleções dos últimos Six Nations, deu o óbvio: o empate

Conor Murray mergulha para o try irlandês

Ainda aprendendo a viver sem Paul O’Connell e com Rory Best como capitão, a Irlanda tropeçou com Gales e empatou em casa em 16-16.

Os destaques da partida foram as lesões e as baixas no elenco. Ainda sem Halfpenny, de fora até o segundo semestre, Gales sofreu no fim do jogo com a lesão de Gareth Anscombe, o full-back reserva. Liam Williams, que também se lesionou na RWC2015, ainda não está 100% e o substituiu.

O primeiro tempo foi bem disputado, com trocas de penais e um try pra cada lado, com o srcum-half irlandês e o oitavo galês anotando. Sexton e Priestland converteram e deram números parciais em 13-10.

O segundo foi mais contido e as defesas funcionaram, talvez combinadas com a falta de capitalização de lances vitais dos dois lados. Só houve mais um penal para a Irlanda com Sexton e dois com Priestland para Gales. Fim de jogo, 16-16 e a Inglaterra assumiu a ponta na primeira rodada.
Irlanda: 15Simon Zebo, 14Andrew Trimble, 13Jared Payne, 12Robbie Henshaw, 11Keith Earls, 10Johnny Sexton, 9Conor Murray, 1Jack McGrath, 2Rory Best (C), 3Nathan White, 4Mike McCarthy, 5Devin Toner, 6CJ Stander, 7Tommy O’Donnell, 8Jamie Heaslip;

Reservas: 16Sean Cronin, 17James Cronin, 18Tadhg Furlong, 19Donnacha Ryan, 20Rhys Ruddock, 21Kieran Marmion, 22Ian Madigan, 23Dave Kearney.

País de Gales: 15Liam Williams, 14George North, 13Jonathan Davies, 12Jamie Roberts, 11Tom James, 10Dan Biggar, 9Gareth Davies, 1Rob Evans, 2Scott Baldwin, 3Samson Lee, 4Luke Charteris, 5Alun Wyn Jones, 6Sam Warburton, 7Justin Tipuric, 8Taulupe Faletau;

Reservas: 16Ken Owens, 17Gethin Jenkins, 18Tomas Francis, 19Bradley Davies, 20Dan Lydiate, 21Lloyd Williams, 22Rhys Priestland, 23Alex Cuthbert.

Irlanda 16 – 16 Gales

Placar de Intervalo: 13 – 10

Data: 7 de Fevereiro de 2016, 15:00 local, 13:00 Brasília
Estádio: Lansdowne Road, Dublin
Público: 51.700
Tries: Murray          Tries: Faletau
Cons: Sexton           Cons: Priestland
Pens: Sexton 3        Pens: Priestland 3

Confira a tabela e os próximos confrontos do #SN2016 aqui.

Vinícius Guedes

Administrador de Empresas pela UFRRJ, Segurança Privado, Árbitro de Rugby pela RioRefs, jogador pelo Itaguaí Rugby. Gosta de esportes, filmes, séries e muita música.

%d blogueiros gostam disto: