SOBERANO’S #57 – Cesar Vallejo 1 X 1 São Paulo – Opinião Pós-Jogo

Iniciamos ontem a caminhada na Copa Libertadores, com o primeiro jogo da fase preliminar, contra o Cesar Vallejo, no Perú, com empate por 1 x 1. Resultado que deixa o tricolor em vantagem para o confronto de volta no Pacaembú, podendo empatar sem gols para classificar-se a fase de grupos, além de manter uma invencibilidade histórica contra equipes peruanas. E, apesar de ter ficado no empate e algumas falhas terem sido fáceis de serem notadas, gostei do que vi ontem.

Edgardo Bauza iniciou com a mesma escalação e formação tática que vem utilizando desde o começo dos treinamentos, que também foi base no amistoso contra o Cerro Portenho e na estréia do Paulista contra o RB Brasil. A única modificação foi nos posicionamentos de Michel Bastos e Centurión, que trocaram de lado de campo. A equipe atacava com o famigerado 4-2-3-1, com boas saídas de Thiago Mendes e apoio constante no lado esquerda de Mena e se fechava em um 4-4-1-1, deixando somente Ganso e Kardec a frente das duas linhas.

A movimentação ofensiva do time é bem interessante. Diferentemente dos últimos anos em que a equipe tocava de lado sem objetividade, temos mais movimentação dos homens de meio e liberdade para Thiago Mendes chegar como o tal “elemento surpresa” de maneira constante. Na esquerda Michel Bastos fechava por dentro para abrir um corredor para Mena chegar ao fundo e alçar bola na área da linha de fundo (quanto tempo esperei para ver ultrapassagens dos laterais no tricolor). Uma delas chegou a cabeça de Kardec, na bola que bateu no travessão e entrou, mas o assistente não viu dessa maneira. Na direita, porém, não houve boa produtividade. Centurión segue muito mal no ataque e Bruno não consegue não ajuda muito também.

Além da cabeçada, Kardec ofereceu pouco ofensivamente, com pouca movimentação para sair da sombra dos zagueiros. Calleri, que fez sua estréia com a camisa tricolor ontem, movimentou-se melhor, fez boas tabelas e foi premiado com um belo gol. Deve ser titular fácil no lugar de Kardec nos próximos jogos.

Na defesa o problema foi justamente com Mena. Contratado por ser um lateral mais defensivo, deixou uma avenida que foi explorada constantemente pelos peruanos nos contra-ataques. No segundo tempo, Bauza fez uma boa alteração para corrigir esse problema do lado esquerdo, colocando Carlinhos na meia, criando uma dobradinha pelo lado do campo explorado pelos peruanos. Bruno também não marcou muito bem, tanto que o gol adversário saiu no seu lado, em um peterado sem chances para Dênis (e não venham com história de que estava adiantado, o chute foi na gaveta, não tinha como chegar na bola).

O desempenho, no geral, foi satisfatório. Bauza já mostra um time mais organizado, com uma melhor movimentação. E Calleri, junto com Lugano, devem deixar todo mundo bem acordado em campo, por suas características. Que o Pacaembú lote no jogo de volta e o São Paulo continue mostrando essa evolução. Dessa maneira, dá para acreditarmos que teremos um bom papel nas competições que disputaremos durante o ano.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: