SOBERANO’S #58 – São Paulo 1×0 Cesar Vallejo – Opinião Pós-Jogo

Com um gol de Rogério, o São Paulo vence. Quantas vezes essa frase já não foi manchete ao longo dos anos. Mas dessa vez, o Rogério não usa a 01. O “Neymar do Nordeste”, como chegou a ser conhecido em sua passagem pelo Vitória, começa a se destacar como um talismã para a equipe tricolor. Foi dele, no final do jogo contra o Goiás na última rodada do Brasileiro do ano passado, o gol que nos garantiu na Libertadores desse ano. E foi dele novamente, no aos 40 do segundo tempo, o gol que sacramentou a classificação para a fase de grupos.

Durante e após o jogo, apareceram dois tipos de são-paulinos nas redes sociais. Os extremamente otimistas, que diziam que o time foi muito bem e que Libertadores é assim mesmo, sofrido, e os extremamente pessimistas, que contestaram uma vitória só por 1 x 0 diante dos peruanos. Essa bipolaridade tem sido uma marca registrada da nossa torcida nos últimos tempos. Mas vou tentar manter uma racionalidade aqui, porém um pouco mais pendente para o lado dos otimistas e explico por quê.

O São Paulo não fez um jogo espetacular ontem. Não foi uma atuação de encher os olhos. Mas foi um desempenho seguro, organizado e com um fator que já fazia algum tempo que não víamos muito: Vontade, ou como o outro Rogério definiu em sua despedida, alma. Denis foi meramente um expectador durante todo o jogo, aparecendo basicamente em alguns tiros de meta ou raras bolas alçadas a área. Ah, mas o adversário era fraco, me dirão alguns. Devolvo com a pergunta: Quantas vezes, só no ano passado, contra adversários supostamente tecnicamente inferiores não sofremos ataques contundentes e perdermos jogos que não deveríamos?

Essa já está sendo a principal evolução que o Edgardo Bauza está promovendo nesse trabalho inicial. Ofensivamente, a movimentação está melhorando a cada jogo (é preciso entender que os adversários também melhoram na marcação, principalmente em jogos consecutivos contra a mesma equipe), porém, alguns erros individuais estão atrapalhando. Centurión continua estabanado e Michel Bastos, apesar de boa movimentação pelo lado esquerdo em que ora chega com condições de finalizar, ora para colocar Mena ou ele menos em boa posição de alçar a bola na área, precisa colocar o pé na forma. Foram diversos erros de passe no trecho final do campo que poderiam ter resultado em jogadas melhores e o pênalti desperdiçado que daria uma maior tranqüilidade no segundo tempo. Já Ganso e Hudson são jogadores que mostraram evolução do que apresentaram no último ano. Além Thiago Mendes, Rodrigo Caio que já vem bem há tempos e o bom início de Calleri.

Discordo com relação ao sufoco. Apesar da vitória pelo placar mínimo e com gol nos minutos finais, em momento nenhum a classificação esteve sob ameaça, nem quando tomamos 1 x 0 no Perú. A equipe fez por onde merecer a classificação e pode sim fazer um papel digno na competição desse ano. Semana que vem já estreamos na fase de grupos contra o The Strongest no Pacaembú (Morumbi segue com a reforma do gramado) e domingo temos o clássico contra o Corinthians pelo Estadual. Se o time continuar mostrando evolução e alguns jogadores melhorarem tecnicamente deveremos ter resultados bons nesses dois jogos. O início de trabalho de Bauza, sinceramente, me anima.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: