Maracanã, Fla-Flu, e a guerra política no futebol carioca

Texto: Gustavo Castelano

A temporada de 2016 mal começou, mas o futebol carioca já vive uma grande crise e o maior palco do futebol mundial é o principal motivo. Com a chegada das Olimpíadas o Maracanã só será utilizado no fim do ano, e consequentemente, vem prejudicando a dupla Fla-Flu. Nessa confusão, os ingredientes são vários: brigas políticas, rivalidades, prejuízos financeiros…. e até show dos Rolling Stones. O HTE explica o imbróglio envolvendo o palco da final da Copa do Mundo de 2014.

Domingo, Maraca lotado, Zico em campo…. não, você não está voltando ao passado, mas essa foi a última partida de futebol que ocorreu no Maracanã. Trata-se do Jogo das Estrelas, promovido pelo Zico, e que ocorreu no fim do último ano. De lá pra cá, aconteceu de tudo no estádio, menos o principal…. a bola rolando em uma partida de futebol.

Um dos fatos que causaram ira nos dirigentes dos clubes (principalmente Flamengo e Fluminense), é que o estádio nem foi entregue ao Comitê Olímpico, mas ficou impraticável para se jogar nesse início de temporada. A Maracanã S.A – concessionária que cuida do estádio – transformou o seu produto em um grande salão de festa. Os eventos foram vários, de marchinha de carnaval até show da lendária banda de rock, Rolling Stones. Depois de tudo, o estádio foi entregue ao COB para os preparativos para as Olimpíadas.

maracana
Com tudo isso, as equipes tiveram que realocar suas partidas. Seis partidas foram afetadas, e o clássico Fla-Flu foi disputado em Brasília. O calendário congestionado fez com que as duas equipes mandassem seus jogos em Cariacica-ES, válidos pela Primeira Liga, fato que causou ira no técnico rubro-negro. Muricy se queixou das viagens e disse que isso prejudicaria a sua equipe, mostrando seu insatisfação com a situação.

Botafogo e Vasco, aliados da FERJ, vem mandando suas partidas em São Januário. A rivalidade entre as equipe, e a guerra declarada no futebol carioca ficou mais clara ainda nesse início de campeonato. Vasco e Flamengo se enfrentaram em São Januário depois de dez anos, e isso foi uma resposta clara a equipe rubro-negra, que tanto relutou em jogar na casa de seu maior rival.

A falta de uma casa pode ser um fator preocupante para o Flamengo. O clube foi proibido pela CBF – a pedido da FERJ – de mandar suas partidas na capital do país. Tal ato causou a ira da diretoria rubro-negra, que em uma nota oficial, demonstrou todo seus descontentamento com a atual situação vivenciada no futebol brasileiro.

O presidente Bandeira de Mello não desistiu, e espera poder mandar seus jogos no Mané Garrincha. A ideia inicial é jogar contra as equipes grandes em Brasília, e os jogos pequenos serão mandados em Volta Redonda. A diretoria já tem todos os laudos necessários, e só espera um “ok” da CBF.

Flamengo quer fazer de Brasília sua casa no Brasileirão | FOTO: Globo Esporte.

No meio desse turbilhão de confusões, a concessionária Maracanã S.A se encontra em grande crise financeira, e planeja entregar o estádio para o governo do Rio. Após demitir 75% dos seus funcionários, o grupo deu um ultimato ao governo, escancarando a crise vivenciada no futebol carioca. O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, já disse que o clube está apto para assumir o controle do estádio.

O futuro é incerto. Depois de tantas confusões envolvendo o Maracanã, o maior palco do futebol, a situação é instável até o momento. Vale lembrar que ainda estamos no início de temporada, e debaixo dessa ponte, muita água irá passar. Flamengo e Fluminense, rivais históricos, estão unidos nessa batalha extra-campo, e irão realizar uma partida no Pacaembu, válido pela Taça Guanabara.

O que nos resta é aguardar as cenas dos próximos capítulos…

%d blogueiros gostam disto: