Meu jogo Histórico #11 – O último chocolate

Nada melhor do que aproveitar esse clima recente de páscoa e relembrar um clássico histórico que marcou vários vascaínos, não é?! O chocolate da vez foi em cima do Botafogo, no ano de 2010, válido pelo campeonato carioca.

Depois de sofrer com o rebaixamento em 2008 e subir sem sustos em 2009, as coisas pareciam ficar mais tranquilas para o Vascão. Para começar bem o ano, nada melhor do que golear o adversário fora de casa. Dodô 3 vezes, Coutinho 2 e Léo Gago fizeram a minha alegria naquele dia.

A partida era cercada de expectativas; estréia de El Loco Abreu pelo Botafogo, o reencontro do artilheiro dos gols bonitos com seu ex time e era o primeiro clássico vascaíno depois do acesso.

O jogo começou quente, apesar da chuva, muitas faltas, chegadas duras dos dois lados e a partida não era nada agradável. Até que Dodô marcou o primeiro pra explodir o Engenhão e a minha casa também, onde moram quatro vascaínos.

E a diversão começava ali, não demorou muito pro atacante cruzmaltino marcar mais um, mais outro … Logo 3 gols de Dodô contra o clube pelo qual teve grande passagem. Os toques, jogadas de efeito, o espetáculo era completo e não havia terminado nem o primeiro tempo.

Enquanto em casa fazíamos apostas de quanto terminaria a partida, o Vasco voltava a campo em busca de mais, de fazer história. Logo nos primeiros minutos da etapa complementar, Léo Gago fez o seu numa linda cobrança de falta. Uma bomba no meio do gol que nem o Jefferson conseguiu segurar.

A busca por mais gols continuava, vidrado na televisão eu via a jóia da base, P. Coutinho se destacar como gente grande. Foram dois belos gols da última grande revelação da Colina Histórica, fora as jogadas desconsertantes. Infelizmente não tive tempo de apreciar seu bom futebol com a camisa do Vasco, o jogador já estava acertado com a Inter de Milão-ITA.

O time comemorando um dos gols da goleada em cima do rival. (Fonte: globoesporte.com)
O time comemorando um dos gols da goleada em cima do rival. (Fonte: globoesporte.com)

Com o jogo próximo do fim eu tentava ver a partida com mais calma, tentando entender um pouco mais da tática e o motivo de uma vitória tão espetacular. Mas foi tudo em vão, foi muito melhor aproveitar o momento e pedir mais um gol do que tentar entender que aquele dia era dia, era dia do Vasco ser Vasco.

E sobre a aposta lá em casa, como meu pai disse no intervalo da partida: 3 vira, 6 acaba.

Ficha Técnica:
Botafogo 0 x 6 Vasco
Botafogo – Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Wellington e Marcelo Cordeiro; Leandro Guerreiro, Fahel, Eduardo e Lúcio Flávio (Renato); Herrera e Abreu (Somália). Técnico: Estevam Soares.
Vasco – Fernando Prass; Fagner (Thiago Martinelli), Fernando, Titi e Márcio Careca; Nilton, Souza (Rafael Coelho), Leo Gago e Carlos Alberto (Magno); Philippe Coutinho e Dodô. Técnico: Vágner Mancini.
Gols – Dodô, aos 3, aos 32, e aos 34 minutos do primeiro tempo. Léo Gago, aos 10, e Philippe Coutinho, aos 14 e aos 36 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos – Alessandro, Antônio Carlos, Fahel, Herrera (Botafogo); Fagner, Márcio Careca, Léo Gago e Dodô (Vasco).
Cartão vermelho – Eduardo (Botafogo).
Árbitro – Felipe Gomes da Silva.
Renda – R$ 486.980,00.
Público – 21.190 pagantes.
Local – Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

%d blogueiros gostam disto: