Reconto HTE #7 – Michael Laudrup e o duplo 5×0

Na história do “El Clássico”, jogo maior da Espanha que coloca frente a frente Barcelona e Real Madrid, já houve diversos jogadores que atuaram pelas duas equipes. O mais recente foi o português Luis Figo, propaganda eleitoral do primeiro mandato de Florentino Perez que prometia, assim que eleito, tirar o jogador do Barcelona. Mas nos anos 90, um dinamarquês conseguiu um feito para poucos. Não só trocou de camisa, mas esteve presente em duas goleadas históricas, uma de cada lado, sempre junto aos vencedores. Trata-se de Michael Laudrup.

O meia dinamarquês chegou ao Barcelona na temporada 1989/1990, depois de ter se tornado uma referência da Dinamáquina, apelido em que ficou conhecida a seleção de seu país no final dos anos 80, e brilhado junto de Michel Plantini na Juventus. O Barça não vivia um grande momento de sua história e a chegada de um grande jogador como Laudrup, somado a também contratação de Johan Cruyff como treinador foram dois fatores preponderantes para a guinada da equipe da Catalunha. Desde que chegou ao Barcelona, conquistou três campeonatos espanhóis consecutivos e a Copa dos Campeões da Europa, em 1992. Ao lado de craques como o búlgaro Stoichkov, o holandês Ronald Koeman e o brasileiro Romário somado a base da seleção espanhola que tinha Zubizarreta, Ferrer e Bakero, a imprensa europeia categorizava a equipe como o Dream Team.

Na sua última temporada com a camisa azul-grená a história começou a ser feita. No dia oito de janeiro 1994, o Barcelona recebeu o Real Madrid pelo campeonato espanhol. Com um show de Romário que marcou três vezes, sendo o último em passe de Michael Laudrup, o Barça atropelou a equipe da capital espanhola com um sonoro 5 x 0, daqueles de provocar crise em qualquer equipe grande do mundo. No vídeo abaixo, os melhores momentos dessa partida.

Ao final da temporada, depois da derrota na final da Copa dos Campeões para o Milan, Michael Laudrup mudou de camisa. Depois do imenso sucesso e uma negociação conturbada, chegou ao Real Madrid sob desconfiança da nova torcida e ira dos barcelonistas. Mas mostrou o porquê estava lá. Naquela temporada o Real retomaria o título espanhol e Laudrup se consagraria pentacampeão espanhol consecutivamente. Mas somente isso não seria suficiente para apagar a goleada do ano anterior. Então, em sete de janeiro 1995, praticamente um ano depois, foi a vez de o Real Madrid receber o Barcelona. Se no ano anterior o show foi de Romário, nesse jogo quem deu as cartas foi o centroavante chileno Iván Zamorano, que também marcou três vezes, também em um com passe do dinamarquês. O placar: 5 x 0 para o Real Madrid e divida paga na mesma moeda. Abaixo, o vídeo dos gols desse jogo.

Michael Laudrup saiu um ano depois do Real Madrid indo para o emergente futebol japonês por uma temporada e depois para o Ajax, time onde também foi destaque. Foi um dos principais nomes da seleção da Dinamarca na Copa de 1998 na França, eliminada nas quartas de final para o Brasil num dos melhores jogos, se não foi o melhor, daquele mundial. Mas, se você for para a Espanha e perguntar quem foi Michael Laudrup, a resposta será simples: “5×0, 5×0”. Caso raro no futebol. Por ser raro, é histórico.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: