Turnover – 20 anos de Baltimore Ravens

Você já imaginou o Baltimore Ravens com outro nome? Sabia que o time poderia ter se chamado Baltimore Marauders? É, parece brincadeira, mas não é. Os Ravens sopram as velinhas hoje, já que há 20 anos eles passaram a ser chamados assim pela primeira vez. Nesse Turnover vamos contar essa história, em homenagem ao time de Joe Flacco, Terrell Suggs e cia.

12 anos após o antigo time da cidade, o Baltimore Colts, ter se mudado repentinamente para Indianapolis e deixado um estado inteiro órfão, Art Modell decidiu se mudar para Baltimore trazendo com ele seu time, o Cleveland Browns. Em 1996 Maryland teria um time de futebol de novo, porém ele precisava de um novo nome.

Modell não teve dúvidas na hora de ligar para Indianapolis e pedir para que liberassem o nome “Colts” de volta para seu lugar de origem. Em troca, Modell ofereceu 5 milhões de dólares para Indy. Porém Jim Irsay, proprietário da franquia, respondeu que seria necessário entre 25 e 50 milhões de dólares para que o negócio fosse feito.

O time de Baltimore precisaria de uma nova identidade então. O presidente da franquia, David Modell (filho do proprietário, Art), se reuniu com uma comissão da NFL, levando uma relação de mais de 100 sugestões de nomes para a equipe. Após inúmeras discussões, as alternativas foram reduzidas a 17. Então eles mandaram as restantes para grupos de pesquisa, com fãs assíduos e torcedores casuais, dos 25 até os 45 anos, habitantes de 3 áreas diferentes da cidade, que acabaram elegendo 5 candidatos a nome.

Eram eles:  Ravens, Americans (sugerido por David Modell, em homenagem ao trem que vai de Baltimore até Ohio, apelidado de “The American”), Marauders, Mustangs (sugestão de Johnny Unitas, QB vencedor do Super Bowl V pelo Baltimore Colts em 1974) e Railers.

artmodell-620x400
“Obrigado Art Modell, você merece o Hall da Fama”. Foto: Associated Press

Art Modell sugeriu o nome Bulldogs, em homenagem ao time de Canton, Ohio, que teve grande contribuição para o surgimento da NFL.

No dia 28 de março de 1996, o jornal The Baltimore Sun conduziu uma enquete via telefone, onde a população podia ligar para votar no nome que queria para o time. Sim, isso mesmo, o nome do time de Baltimore foi eleito pelo povo. Com 64% dos votos (21.108 pessoas a favor), o nome Ravens não deu a menor chance para seus concorrentes.

Então no dia em que completariam 12 anos que o Colts se foi de Maryland, 29 de março, Baltimore anunciava seu novo time e sua nova vida (clique aqui para assistir o vídeo do momento em que Art Modell faz o anúncio). Mas você deve estar se perguntando, por que Ravens?

Johnny Unitas não gostou nem um pouco do nome, dizendo que não era nada relacionável com futebol. Ele queria o nome Mustangs, para que o time de Baltimore continuasse sendo relacionado a equinos (Colt em inglês significa “ferradura”). David Modell, porém, comentou: “A voz dos fãs foi tão forte e clara que isso não importa”.

Mas há sim um motivo para esse nome. A população procurava por um símbolo da cidade para representá-la através do time de futebol, e eles encontraram exatamente isso em Edgar Allan Poe, o poeta mundialmente famoso e morador de Baltimore em vida (e também em morte, considerando que foi lá que Poe morreu e está enterrado). Conhecido por seu estilo macabro de escrita, um de seus principais poemas é O Corvo, ou, “The Raven”.

BALTIMORE - DECEMBER 12: Edger, Allen and Po, the Baltimore Raven's team mascots, show their holiday spirit as they pose for a group picture during the Ravens match up against the New York Giants at M&T Bank Stadium on December 12, 2004 in Baltimore, Maryland. (Photo by Doug Pensinger/Getty Images)
Edgar, Allan e Poe. Foto: Doug Pensinger/Getty Images

O carinho pelo escritor é tanto, que o Baltimore Ravens chegou a ter três mascotes: Edgar, Allan e Poe. O primeiro, Edgar, tinha constituição física mais forte e representava os jogadores de backfield (linebackers, defensive backs, quarterbacks e fullbacks). Allan, o segundo, era maior e mais fino, com bastante energia, representando os wide receivers e running backs. Já Poe, o último, é baixo e robusto, fazendo alusão aos linemen. Simpático e amável, o camisa 103 dos Ravens está sempre a procura do cheeseburguer perfeito e pronto para um tailgate.

Baltimore, Md--2/1/13--Conquer and Rise, mascot ravens, are among the guest appearing on segments with Natalie Morales, a Today Show anchor, during the show's broadcasts from the Inner Harbor. Kim Hairston/The Baltimore Sun--#6864
Os novos mascotes do Baltimore Ravens. Foto: Kim Hairston/The Baltimore Sun

A partir da temporada 2009, porém, Edgar e Allan foram substituídos por dois corvos reais, chamados Rise e Conquer, deixando Poe como o único mascote “mascote” do time.
Parabéns pelos 20 anos de Ravens, Baltimore!

%d blogueiros gostam disto: