Vem de 5: Melhores seleções que não conquistaram a Copa do Mundo

Vai começar mais uma rodada das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, que será disputada na Rússia. Evento maior do futebol, grandes seleções que venceram o torneio vêm sempre a nossa cabeça, como o Brasil de Pelé, a Argentina de Maradona, a Espanha do Tiki-taka e a Alemanha do 7×1, para ficar somente em alguns exemplos. Mas o futebol também ficou marcado por grandes seleções que não conseguiram, por um motivo ou outro, a conquista do mundial. Vamos aqui relembrar cinco grandes seleções que ficaram para a história, mesmo sem ter conquistado a Copa do Mundo

Argentina – Década de 40

A segunda guerra mundial cancelou duas edições da Copa do Mundo, que seriam disputadas em 1942 e 1946. E é provável que se houvessem essa edições a Argentina teria hoje 4 títulos mundiais. Na década, foram 4 títulos sul-americanos (hoje Copa América), sendo três consecutivos. Com jogadores como Adolfo Pedernera, Juan Marvezzi, Alfredo Di Stéfano, Rinaldo Martino e Enrique Garcí e a soberania contra Uruguai e Brasil na época, é difícil imaginar que pelo menos uma das Copas canceladas não teriam ficados nas mãos dos hermanos.

Hungria – Copa de 1954

Uma das maiores seleções da história das Copas certamente foi a Hungria da Copa de 1954. Com craques como Puskás, Kocsis e Hidegkuti, que inovava taticamente o futebol com o 4-2-4. Em campo, um show. Na primeira fase, duas vitórias: 9 a 0 na Coreia do Sul e 8 a 3 na Alemanha. Foram 17 gols em dois jogos. Nas quartas de final o Brasil, então vice-campeão mundial, num confronto que seria conhecido como “A batalha de Berna”. O jogo teve o maior número de expulsões em uma partida de Copa até então com 3 jogadores indo para o chuveiro. No placar, 4×2 para os húngaros. Na semi-final os atuais campeões Uruguais bem que tentaram, levaram o jogo para a prorrogação, mas o placar final ficou em 4×2. Na final, o título não veio, com a derrota de virada para a Alemanha, por 3×2. Mas a história já tinha sido feita.

Alemanha – Copa de 1970

Falar em Copa de 70 é falar em Pelé, Gérson, Jairzinho, Rivelino e a mágica seleção brasileira que conquistou o tri-campeonato no México. Porém, a seleção da Alemanha daquela Copa era fenomenal também. Liderada por Backebauer, formou a base da equipe que venceria o título na Copa seguinte. Na semi-final contra os italianos, protagonizaram o melhor jogo da história das Copas segundo a própria FIFA, com um empate em 1×1 no tempo normal e 3×2 para os Itália na prorrogação.

Holanda – Copa de 1974

Muitos comentaristas definem duas épocas para o futebol: Antes da Holanda-74 e Pós-Holanda-74. O time de Rinus Michels, com seu futebol total mudou o jeito de que os treinadores encaravam a tática no futebol. Pressão no campo adversário, linha de impedimento, rotação de posições em campo foram algumas marcas dessa grande seleção. Na série Reconto HTE contamos detalhadamente a história dessa seleção.

Brasil – Copa de 1982

Considerada por muitos a melhor seleção formada pós-Era Pelé, a seleção brasileira encantou na Copa de 1982 na Espanha. Com jogadores como Waldir Peres, Leandro, Oscar, Junior, Cerezo, Falcão, Sócrates, Zico Éder e Serginho Chulapa e dirigida pelo inesquecível mestre Telê Santana, o Brasil ganhava jogando bonito. Mas, na segunda fase da competição disputada em formato triangular, após uma grande vitória sobre a Argentina, veio a famosa derrota para a Itália de Paolo Rossi, no jogo que ficou conhecido como “Desastre do Sarriá”. Derrota que deixou sequelas no futebol brasileiro. Há ainda hoje quem afirme é melhor perder como em 1982 que vencer como em 1994.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: