CLUBE DA FÉ #65 – Pós Jogo: São Paulo 6 x 0 Trujilanos

O São Paulo jogou por música essa noite no Morumbi. Triangulou, tabelou, jogou com intensidade e velocidade e venceu fácil os venezuelanos do Trujilanos. Kelvin é o Messi Negro, João Schimidt o novo Iniesta, Hudson joga com a qualidade do Cerezo no meio-campo e Ganso é o maestro que rege toda essa companhia.

Não, não estou louco não. É óbvio que sei que pegamos um time fraquíssimo. Batemos em bêbado, como muitos dirão nos programas de rádio e TV nessa quarta-feira. Mas nem em bêbado estávamos batendo nesse ano. Foram longos quatro meses para vermos um futebol decente com a camisa tricolor. O que esperamos é que essa vontade, intensidade, velocidade e movimentação sejam constantes daqui para frente.

Bauza manteve o esquema que apostou desde o início do ano, o famoso 4-2-3-1. Novamente deixando claro as reticências da clara deficiência técnica do adversário, é fato que as peças escaladas hoje pelo argentino funcionaram bem melhor que ao longo do ano. Kelvin na direita foi mais preciso nos dribles e nas finalizações que Centurion. João Schimdt deu mobilidade e bom passe no meio campo, desafongando Ganso na armação quando necessário. Michel Bastos deu carrinho com o jogo já em 3×0 e Hudson (Sim, ele mesmo) marcou bem e saiu com facilidade para o jogo. O espírito da equipe foi diferente e isso é o principal.

Se tivéssemos jogado com essa vontade, com essa gana, com essa velocidade e movimentação contra o mesmo Trujilanos na Venezuela e, principalmente, contra o The Stronghest no Pacaembú certamente estaríamos aqui comentando com a classificação para a próxima fase praticamente garantida. Que essa seja a virada de página que o São Paulo tanto precisa em campo. Se mantivermos esse espírito, certamente viveremos dias para ficarmos orgulhosos mais para frente.

E sim, o Cantinho do Torcedor muda de nome, agora de forma definitiva. Não podemos mais nos chamar de Soberano’s, como começamos aqui. A situação em campo e fora dele, por mais que tenhamos feito um bom jogo hoje, não nos permite mais nos darmos essa auto-denominação. E a vontade mostrada faz com que seja merecido a retirada do título de Barra Funda Spa & Resort. Então vamos denominar esse cantinho com o nome que mais representa o São Paulo em sua história, como Clube da Fé. Em breve elaboro um post para contar essa história.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: