CLUBE DA FÉ #71 – Pós-Jogo – São Paulo 4 x 0 Toluca

Caros amigos torcedores são-paulinos: Há quanto tempo não víamos um futebol tão bom com a camisa tricolor como vimos ontem? Há quanto tempo não saíamos completamente satisfeitos com um futebol praticado pelo São Paulo? Que partida foi essa com o Toluca meus amigos, que partida! Dominamos o jogo desde o primeiro minuto, fizemos um primeiro tempo sensacional, virando com a vantagem de  2×0 que facilmente poderia ser 4 ou 5. Ganso jogou muito, a defesa com Maicon e Rodrigo Caio foram seguras, Hudson foi um monstro no meio campo e os criticados (justamente) Michel Bastos, Centurion e Thiago Mendes foram ovacionados (também justamente) ontem com uma atuação de encher os olhos, sendo eles os autores dos quatro gols que dão ao nosso tricolor uma vantagem extremamente confortável para o confronto no México.

Méritos também do contestado por boa parte da torcida Edgardo Bauza, que pela primeira vez no ano teve a semana inteira para preparar o time e, mesmo com o importante desfalque de Calleri, mostrou um excelente repertório, ofensiva e defensivamente nessas oitavas de final. Suas decisões nos últimos jogos da Libertadores foram bastante questionadas (Wesley no lugar de Ganso na Bolívia e Centurión no lugar de Kardec ontem), mas mostraram-se altamente efetivas. Não foi a vitória, mas a atuação da equipe, tanto na tática quanto na alma, que nos orgulhou ontem.

E falando no argentino Centurión, ontem mereceu todos os nossos aplausos. Brigou muito pela bola, conseguiu na raça uma bola perdida que originou a jogada do primeiro gol, fez um golaço justamente na função que cobramos aqui, na ponta esquerda, depois de entortar um mexicano, a bola voltou para Rodrigo Caio e Thiago Mendes que o acionaram na ponta da área e colocou na gaveta.

Enfim, atuação digna da camisa tricampeã da América e do Mundo. Atuação condizente com um time que quer ser considerado como candidato aos grandes títulos da temporada. Atuação que deixa a torcida feliz. Que essa evolução destaca por Bauza continue que certamente voltaremos aos nossos dias de glória. Pelo menos, aos dias de orgulho estamos voltando. Com raça, alma e muita disposição somado a qualidade técnica de alguns jogadores que sabidamente têm, como Ganso e Michel Bastos, podemos sonhar e acreditar. Que consigamos repetir nessa Libertadores a dinâmica mostrada ontem. Que venha a próxima fase, pois só uma catástrofe mexicana para nos tirar das quartas de final.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: