De Bandeja – Felício, a surpresa que pode pintar na lista de Magnano?

Desde o início da temporada da NBA muito tem se comentado sobre a preocupação do treinador Rubén Magnano em relação aos minutos que os brasileiros da liga norte-americana tem tido de quadra. Com a maioria dos atletas apenas figurando na reserva em ano olímpico, essa preocupação é mais que justificável. Pouco a pouco, algumas boas notícias foram aparecendo, como o crescimento de Huertas, a ótima primeira temporada de Raulzinho e a troca de Anderson Varejão, saindo do Cavaliers para jogar com seu provável parceiro de seleção Leandrinho no Golden State Warriors. Porém, é de uma das equipes que teve uma das temporadas mais decepcionantes que pode surgir uma boa surpresa para a seleção brasileira: Cristiano Felício.

Com apenas 23 anos, Felício chegou ao Chicago Bulls para a temporada da NBA ainda na intertemporada, tornando-se o primeiro brasileiro a jogar na franquia que já foi de Michael Jordan. A época, o Bulls era considerado um dos favoritos e o garrafão não era uma preocupação em Chicago, que contava com Pau Gasol, Joackin Noah, Taj Giboson e Mirotic. Felício então foi para a D-League, para se adaptar melhor ao jogo da NBA. Muitas contusões e seu ótimo desempenho na liga de desenvolvimento o fizeram retornar ao elenco principal na segunda metade da temporada. E foi ganhando cada vez mais minutos, confiança e mostrando que pode ser muito útil tanto para o Bulls quanto para a seleção nos Jogos Olímpicos.

Na temporada, registra médias de 9 minutos, 3 pontos e 3 rebotes por jogo. Mas, se olharmos somente os últimos 10 jogos, vemos uma evolução em todas as estatísticas, com 14 minutos, 5 rebotes e 6 pontos por jogo do ala/pivô brasileiro. No último sábado, foi importantíssimo para a vitória frente aos líderes do Leste Cleveland Cavaliers, anotando 16 pontos nos 23 minutos que esteve em quadra, com várias enterradas, ponte aérea e passando por cima de Kevin Love. Ainda pegou 5 rebotes e deu uma assistência. A vitória não foi suficiente para que o time de Chicago mantivesse vivas as possibilidades de chegar aos playoffs, mas mostrou um Felício que podemos confiar.

O garrafão da seleção sofreu um duro golpe com a notícia da cirurgia de Tiago Splitter, deixando como quase certa sua ausência nos jogos. Além de Nenê e Varejão na NBA, Augusto Lima do Real Madrid deve ser um nome praticamente certo na convocação final de Mangano. Mas esse final de temporada de Cristiano Felício o coloca como um dos potenciais nomes para ingressar na equipe que tem a melhor geração desde Oscar Schimdt para buscar uma medalha olímpica. O número 6 do Chicago Bulls pode ser sim uma grata surpresa na lista de Mangnano.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: