HOSPÍCIO #53 – Saravá, São Jorge

Vai, Corinthians. Vai, e não para de ajudar. Vai, torcida Fiel. Saravá São Jorge, ele vai nos ajudar. Essa canção e o samba-enredo dos Gaviões da Fiel de 1994, adaptado, são muito entoados pela torcida do Corinthians. Falar do Time do Povo e não lembrar São Jorge, para muitos, é impossível. O santo padroeiro tão homenageado pela Fiel e “adotado” como padroeiro para grande parte da torcida, apenas por ser o padroeiro do Timão, tem no dia 23 de Abril como seu dia oficial.

 

hospício

 

As histórias e lendas sobre como surgiu a ligação São Jorge e Corinthians não são unanimidade, pelo menos não em seu começo. Uma dessas histórias é que, em 1926, o clube adquiriu seu primeiro terreno, onde hoje é a Rua São Jorge, número 777, no Tatuapé, e que antigamente era um parque, chamado de Parque São Jorge, que se manteve ainda nos domínios do Corinthians. A outra história dá conta de que o Conthian Football Club (hoje, Corinthian-Casuals) tinha como padroeiro o santo guerreiro, e por isso os fundadores do Corinthians tomaram como inspiração.

 

                                     imagem de São Jorge no Parque São Jorge

 

De concreto mesmo, só quando essa ligação ficou mais forte: em 1974, quando o Corinthians ainda estava na fila de títulos. Paulinho Nogueira, compositor, à época compôs uma música chamada “Ai Corinthians”, em alusão aos já 20 anos sem título, já que no campeonato Paulista (que naquela época era o principal campeonato a ser disputado, muito mais do que o Brasileirão e a própria Libertadores, que tomou força apenas nos anos 90) mais uma vez éramos eliminados.

Na última estrofe, Paulinho Nogueira expressava sua dor ao ver o Corinthians perder, mas também profetizava: “Eu, eterno sonhador. Chegava em casa arrasado. Maltratava o meu grande amor. Meu São Jorge, me dê forças. Pra poder um dia, enfim. Descontar o meu sofrimento. Em cima de quem riu de mim”. E assim, como São Jorge não deixa nenhum filho seu sem resposta, assim se fez. O sofrimento citado é parte da história do Corinthians. Muitos riam por não termos Libertadores, estádio, por estarmos na Série B e assim por diante. Já descontamos no passado e ainda o fazemos daqueles que riram de nós.

Garra, pronto para qualquer batalha, raça e sempre dando a volta por cima. Esses atributos podem ser facilmente relacionados com Corinthians ou com São Jorge. Por isso, nossa ligação é tão forte. Obrigado São Jorge (ou Ogum, dependendo de sua religião) por todas as vezes que a Fiel solicitou sua ajuda naqueles momentos difíceis, desde o gol do Basílio em 1977 até a defesa de Cássio contra o Vasco em 2012. Obrigado por nunca deixar seus filhos e, porque não, seu time do coração, na mão.

Saravá, saravá. Salve o Santo Guerreiro. E uma vela pra saudar meu São Jorge padroeiro. Vai Corinthians.

Thiago Cunha Martins

Paulistano, alvinegro, co-fundador e Diretor-geral do HTE Sports. Jornalismo por paixão, Psicologia por vocação. Adorador do futebol e tudo o que o rodeia. Fã curioso da NFL, UFC e eventual seguidor de outros esportes

%d blogueiros gostam disto: