5000 para 1, ou para 1º

“A única forma de chegar ao impossível, é acreditar que é possível.”. Lewis Carroll, autor do clássico Alice no País das Maravilhas, é o dono dessa frase que define, em parte, o título do Leicester.

As chances da equipe comandada por Ranieri ser campeã era de 5000/1. Era praticamente impossível. Não me venha hoje dizer que sabia que o Leicester seria campeão desde o início da temporada, pois direi que é mentira. Assim como diria se me falassem isso antes de começar a Premier League 2015/16. Não dava para acreditar.

Não dava para acreditar pelo simples motivo de termos times milionários, com super craques e super elencos. Mal costume! Sim, estamos mal acostumados. Na cabeça dos amantes do futebol, os campeões serão sempre aqueles com mais dinheiro e maior poder de atuação no mercado. E aí entra a magia da Premier League, onde a distribuição mais igualitária das cotas fazem dos ricos um pouco mais ricos, e dos não tão ricos um time capaz de montar um bom elenco.Chhx9mYW0AEwb3c

Os Foxes, como são carinhosamente chamados, têm apenas o 17º elenco mais caro do Campeonato Inglês, acima apenas dos três clubes que subiram de divisão. Chegaram Fuchs, Kanté e Okazaki que, dentre outros reforços, foram os mais importantes para time. Chegou também Claudio Ranieri, substituindo Nigel Pearson, que começou essa ascensão do Leicester. Sobre o trabalho magnífico do treinador italiano e seus comandados, falaremos em outro texto, pois passei por cima de outros para escrever esse.

Fizeram graça com a equipe que ganhava por um gol de diferença, mas isso, meus amigos, se chama cautela e solidez.

Chg_y0DWgAA3x2O

A vitória não é só do Leicester. A vitória é da raça, da vontade. A vitória de um time que jogou pelo povo de uma pequena cidade com a quantidade de habitantes quase igual ao da em que essa pessoa que vos escreve reside, no interior da Bahia. Uma vitória para o SEU povo. Uma vitória do bom e velho futebol.

“Ding, Dilly, Dong”, o Leicester é campeão inglês!

Che9tefWUAAmNr6

Parabéns!

Lucas Tinoco

21 anos, baiano e aspirante a jornalista esportivo. Fanático por esportes em geral, principalmente futebol. Adepto das ligas europeias e do futebol alternativo. Líder do Editorial de Futebol Internacional do HTE Sports.

%d blogueiros gostam disto: