CLUBE DA FÉ #73 – Pós-Jogo – São Paulo 1 x 0 Atlético-MG

Caros amigos tricolores, vencemos! Isso é o mais importante. Sim, a vitória foi magra, mas não levar gol em casa é uma vantagem considerável. Outro ponto: Por acumulo cartões amarelos, Rafael Carioca e Junior Urso não estarão em campo no jogo de volta, semana que vem, no Independência. Ainda tem a questão Robinho, que saiu lesionado do confronto. Do nosso lado, preocupação apenas com Maicon, zagueiraço que fez uma partida praticamente perfeita, que também saiu lesionado.

O primeiro tempo foi muito brigado dos dois lados, tanto que aos 20 minutos já haviam sido distribuídos 5 cartões amarelos. Também acho que Marcos Rocha deveria ter sido expulso logo no começo por agressão ao Kelvin, mas o árbitro não viu o lance em jogada já paralisada. Demorou para as duas equipes acalmarem e chegamos ao intervalo sem grandes emoções de lado a lado. Foi claro que o São Paulo sentiu a ausência de Michel Bastos que obrigou a deslocar Kelvin para Wesley fazer o lado direito. Com essa formação, perdemos as diagonais e Calleri ficou extremamente isolado, sem aproximação. Ganso lutava no meio, mas não tinha grandes opções.

O segundo tempo foi num ritmo um pouco mais lento, mas com as duas equipes ainda errando muito. Basicamente, os lances de perigo ocorreram somente nas bolas paradas. Michel entrou no lugar de Kelvin, já desgastado e melhor o jogo do lado esquerdo. Wilder entrou no lugar do amarelado Thiago Mendes, deslocando Wesley para a volância. E, numa falta pela esquerda, anotamos nosso tento, com Michel Bastos, de cabeça. Os 61 mil presentes no Morumbi, que fizeram uma bela festa fora e dentro de campo explodiram. Nesse momento, um fato lamentável com a queda da grade de proteção das cadeiras superiores causaram a queda de alguns torcedores no gramado, felizmente sem ferimentos graves. Mas é preocupante que isso tenha ocorrido. Bora reforçar urgentemente as estruturas do estádio diretoria tricolor.

Do gol ao final do jogo pouco ocorreu. A vitória por 1 gol sem ser vazado em casa nos dá a condição de empatar ou perder por um gol, desde que marcando um lá, para classificarmos. Vantagem que não pode ser desprezada, mas está longe de ser definitiva. O São Paulo tem enfrentado sérias dificuldades jogando fora de casa (Não vencemos nenhum jogo como visitante no ano e já estamos em maio) e o Galo é sempre muito forte em seus domínios. O que me deixa confiante é a postura da equipe. A garra que sempre cobramos está presente em cada um dos jogadores. Falta ainda um pouco de qualidade em alguns momentos, mas com Michel recuperado, podemos ter um contra-ataque rápido com Kelvin do lado direito para e a dobradinha do camisa 7 com Mena do lado esquerdo que tem sido bem produtiva.

Domingo de manhã estrearemos no Brasileirão, certamente com os reservas. Chances para Lucas Fernandes, Matheus Reis, Kardec, Wilder ganharem ritmo para caso precisarmos deles da quarta-feira. O confronto está em aberto. Com fé e pensando jogo a jogo, podemos seguir na competição. Vamos São Paulo. Bora Tricolor.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: