White Sox em crise. James Shields vem aí?

E a crise chegou. O ‘Chiiii…cago’ White Sox vem de seis derrotas consecutivas. [Tentei um ‘Jornalismo Tiago Leifert’]

Os meias brancas vinham liderando a Divisão Central da Liga Americana de uma forma até meio surpreendente, já que é a mesma divisão do atual campeão da World Series, Kansas City Royals.

Dos últimos dez jogos disputados, todos foram confrontos de divisão. Seis desses jogos foram contra os Royals e quatro contra os Indians. Os White Sox conseguiram vencer apenas dois jogos desses, um contra cada adversário. Isso fez com que o antigo líder da divisão central passasse a figurar na terceira colocação em sua divisão.

Mas antes disso, os White Sox já demonstravam não estarem tão bem assim. Já que nos confrontos anteriores, contra Texas Rangers, New York Yankees e Houston Astros, de nove jogos, eles venceram apenas três, um de cada time. Perder fora de casa para os Rangers é super compreensível, afinal, são os atuais líderes da Divisão Oeste da Liga Americana. Mas as derrotas para os Yankees e para os Astros, lanternas de suas respectivas divisões (na época, já que os Yankees não são mais lanternas da Divisão Leste), é bem difícil do torcedor aceitar. Acredito que tenha sido exatamente nessas derrotas que o Kansas City Royals viu a oportunidade de tomar a frente da divisão nos confrontos diretos.

Os White Sox até que não jogaram mal no Kauffman Stadium, casa dos Royals. Suas derrotas foram pela diferença mínima em duas situações e por duas corridas em outra. Mas a derrota por 8 a 7, no dia 28 de maio, é de fazer qualquer meia branca chorar de raiva. O jogo estava 7 a 1 para os White Sox até o início da NONA ENTRADA. Era inimaginável que os Royals pudessem fazer algo, já que os White Sox colocaram o bom fechador David Robertson para garantir a vitória, mesmo não sendo uma situação de save. Mas o pior aconteceu, e os Royals conseguiram virar a partida.

A rotação titular dos White Sox, que vinha muito bem, passou a oscilar terrivelmente. Apenas o ace, Chris Sale manteve o seu alto nível de atuação. Já os outros arremessadores da rotação, Mat Latos com ERA de 7.06, nos últimos quatro jogos, e Carlos Rodon com ERA de 4.15, nos últimos cinco jogos, ‘ajudaram’ os White Sox a não conseguirem sair vitoriosos. E o arremessador Jose Quintana, que simplesmente possui o melhor ERA da Liga Americana (2.22), não consegue vencer seus jogos. Tudo isso porque quando Quintana está no montinho, o ataque dos White Sox não funciona. Daí mesmo arremessando relativamente bem, cedendo poucas corridas, o arremessador acabou sendo creditado com a derrota nos últimos três jogos.

Dizem que os White Sox estariam interessados no arremessador James Shields, do San Diego Padres. Acredito que o negócio irá vingar. Pois como sempre os Padres estão indo mal na temporada. Não teriam porque segurar o arremessador, caso apareça alguma proposta razoável boa. Até mesmo porque, os números do arremessador não são lá essas coisas, e seu salário passou a ser de 21 milhões de dólares. Sendo que, seu contrato vai até a temporada de 2018 e, em 2019, quando estiver com 39 anos, o arremessador tem a opção de permanecer no contrato, e receber a bagatela de 16 milhões de dólares. A verdade é que os Padres devem estar rezando para que ele seja negociado. E os White Sox parecem realmente estarem dispostos a adquirirem o arremessador. Assim, juntando a fome com a vontade de comer.

%d blogueiros gostam disto: