Backcourt NBA – O LeBron James que todos queremos ver

Confesso que não faço parte do grupo de maiores fãs do LeBron James. Comecei a assistir a NBA na troca da era Magic Johnson para Michael Jordan e as comparações da estrela do Cleveland Cavaliers com o eterno camisa 23 do Chicago Bulls (melhor jogador de todos os tempos, na minha opinião) foram sempre contestadas (e continuam sendo) por mim. Por mais habilidade técnica e atlética que LeBron demonstrou ao longo dos anos na NBA, nunca o consegui ver no mesmo nível das duas lendas. Mas ontem, no jogo 5 das finais do melhor basquete do mundo, LeBron James com a concentração, garra e habilidade digna dos maiores da história da liga.

Durante toda a série (e boa parte da carreira), o camisa 23 dos Cavs nunca me pareceu aquele jogador capaz de liderar pelo exemplo, fazendo com que os demais jogadores de sua equipe acreditassem em “milagres”, como o que a equipe de Cleveland precisa nesse momento (Nunca na história das finais uma equipe que abriu 3×1 na série virou o confronto). Ontem vimos um LeBron diferente, partindo para cima como se não houvesse amanhã. Mesmo contra Igoudala, seu algoz na decisão do ano passado, LeBron foi eficiente. Mandou bolas de três, infiltrou, enterrou, arremessou de média distância e teve um bom aproveitamento nos lances livres.

Contou com uma grande ajuda de Kyrie Irving, com certeza. O armador terminou o confronto com 41 pontos, mesma soma de LeBron James. Sendo assim, a dupla foi responsável por incríveis 73% dos pontos da equipe na vitória por 112 x 97. LeBron ainda pegou 16 rebotes e distribui 16 assistências. A série agora volta para Cleveland e nada mais importa para os Cavs que a vitória. Mas, com atuações desse nível e com esse espírito que LeBron James demonstrou em quadra, há como acreditar que o milagre é possível.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: