CLUBE DA FÉ #77 – A questão elenco

Muita coisa melhorou no São Paulo ao longo de 2016. Após o clube ter vivido um dos piores momentos de sua história com o presidente Carlos Miguel Aidar, os poucos a administração de Carlos Augusto Barros e Silva, popular Leco, vem colocando a casa em ordem, muito embora algumas decisões causem bastantes controvérsias, com a de manter Ataíde Gil Guerreiro na vice-presidência após sua expulsão do Conselho. Mas, falando especificamente do futebol, o tempo dado a Edgardo Bauza para que se acertasse com as peças que tinha a disposição começaram a dar frutos, uma vez que estamos nas semifinais da Copa Libertadores e no “bolo de cima” do Brasileirão. Os jogadores mais confiantes, com mais entrega e menos mimimi que víamos até o começo da temporada.

Leia Também >> Clube da Fé #76 – Obrigado Muricy!

Denis, Bruno, Maicon, Rodrigo Caio, Mena, João Schimdt, Hudson, Michel Bastos, Ganso, Kelvin e Calleri são os onze jogadores que permitiram isso. Com essa escalação base Bauza acertou a mão do time. Porém, pouco pode utilizar. Lesões, convocações para seleção (chupa CBF) e suspensões fazem com que o São Paulo tenha que recorrer ao elenco, e é aí que está morando nosso problema atual. Não temos grandes peças de reposição. Tirando Lugan, Thiago Mendes e, forçando bem a barra por conta de seus últimos jogos, Wesley, sempre que precisamos de alguém considerado “reserva” é um tormento.

Matheus Reis marcando é tenebrosos. Centurión, importante taticamente na recomposição defensiva, tem um problema sério com a bola. Kardec está numa draga danada. E agora perdemos para o restante da temporada o jovem meia Lucas Fernandes, que rompeu os ligamentos do joelho e ficará disponível somente em 2017. Isso sem citar Lucão, Rogério, Daniel e Auro, jogadores que não mostraram, até hoje, condições de serem jogadores do tricolor, e Breno e Carlinhos, eternos moradores do REFFIS.

Leia Também >> Clube da Fé #75 – Entre a razão e a emoção

É uma situação complicada visto o calendário brasileiro e a situação contratual de alguns atletas. O caso mais preocupante, como todos estão cansados de saber, é de Maicon, que se encerra no final desse mês. A pedida do Porto é um tanto alta (8 milhões de euros) e os dirigentes terão um trabalho bem complicado para dobrar os portugueses nessa. A tendência hoje, infelizmente, é de que Maicon não seguirá no São Paulo. A situação financeira, embora esteja melhorando dada a assinatura do novo contrato de TV e de (finalmente) conquistar o patrocinador máster, ainda não é das mais saudáveis, por isso complica a busca por jogadores que possam compor esse elenco.

Ytalo e Cueva com certeza irão ajudar esse elenco. O primeiro inclusive já anotou seu gol na vitória contra o Cruzeiro e pode dar uma movimentação maior ao ataque que Kardec vem oferecendo quando requisitado. Já o peruano vem somente após a participação do Peru na Copa América (chupa CBF). Mas ainda precisamos de mais. Pelo menos um zagueiro, um lateral esquerdo e um centroavante.

Apesar disso, a confiança no São Paulo ainda segue em alta. Mesmo com tantos problemas, estamos próximos aos líderes e, com as voltas de Ganso e Rodrigo Caio da seleção (chupa CBF) e com o retorno de Hudson e Michel Bastos dos lesionados, além de Calleri (autor do primeiro gol contra o Vitória ontem), temos novamente praticamente todo o time titular a disposição, então devemos subir mais na tabela do Brasileiro para poder encarar o Atlético Nacional de Medelín na Libertadores ainda na ponta dos cascos. Certamente a diretoria está trabalhando em algumas possibilidades, dentro da realidade financeira, para qualificar mais o “elenco de apoio”. Quem sabe nas próximas semanas já não teremos novidades?

 

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: