CLUBE DA FÉ #78 – Torcida pediu e Maicon agora é definitivamente tricolor

Caros amigos tricolores, nós pedimos e a diretoria atendeu nosso anseio. Confirmada ontem a notícia que o zagueiro Maicon, de longe a melhor aquisição da equipe nos últimos anos, foi contratado em definitivo junto ao Porto e assinará contrato até o final de 2020. Segundo as informações veiculadas, foram 6 milhões de euros mais 50% dos direitos econômicos de Lucão e Inácio (lateral esquerdo do sub-20), tornando-se, assim, a maior contratação da história do São Paulo Futebol Clube.

Financeiramente não há como negar que o valor foi alto. Mas, para os que falam que foi caro, pergunto: Quanto custou (somando-se valores de transferências, comissões e salários) Paulo Miranda, Reinaldo, Lucão, Xandão, Edson Silva, Clemente Rodriguez e outras tantas perebas que estiveram ou ainda estão no elenco? Caro é pagar um real que seja por qualquer um desses jogadores. Em um jogador como Maicon, que em menos de seis meses no elenco já demonstrou qualidade técnica, comprometimento, liderança e já possui identificação com a torcida, o investimento vale muito, não só para a Libertadores que está em sua fase derradeira, mas como para as próximas temporadas.

Maicon mostrou ascendência entre os jovens. Há duas partidas, em campo, deu uma aula para Matheus Reis de posicionamento. E pode ajudar Rodrigo Caio, Lyanco, Lucas Kal, Iago Maidana e qualquer outro zagueiro que apareça nos próximos três anos e meio de contrato a crescer e tornarem-se potenciais vendas lucrativas para os cofres tricolores. Sem falar que, com ele em campo, sobem as chances de sucesso da equipe nas competições, formando um lucro intangível de imagem para o São Paulo.

A cessão de 50% dos direitos econômicos de dois jovens é um risco. Mas, vamos pensar. Lucão já demonstrou ser um zagueiro patético com a camisa do São Paulo. Se for para o Porto e estourar, o tricolor ganha. Se ficar, vai ser mais um que encerrará o contrato e deixará o clube, já que não vai mais ter grandes chances (espero eu e acho que a totalidade da torcida são-paulina) de entrar em campo. Ou seja, risco bem perto de zero no seu caso. Já Inácio mostrou ótimo potencial na Copa São Paulo e demais competições sub-20 do ano passado para cá e, se não estivesse lesionado, talvez estivesse jogando no lugar de Matheus Reis nessa fase que estávamos com Mena e Carlinhos lesionados. Poderá tornar-se um grande lateral esquerdo. Mas vou lembrar dois jogadores do passado (e presente) recente do próprio São Paulo: Wellington e Auro. O primeiro, volante, em uma negociação com o Shaktar Donestk, teve 35% do percentual negociado com os ucranianos. Até hoje não vingou, esteve emprestado para o Internacional, voltou com suspensão de doping e lesão no joelho (segunda na curta carreira). Auro, nos tempos ainda de Juvenal Juvêncio como presidente, dizia-se que existia propostas de mais de 7 milhões de euros sem nenhuma partida como profissional. Subiu, mas não agradou nenhum treinador que passou por lá e hoje está emprestado ao Sport. Ou seja, todo jovem que sobe da base é uma aposta que pode vir a ser um grande jogador ou não vingar. Ninguém sabe ainda como será o futuro de Inácio, mas sabemos como é o presente de Maicon. E, parece-me razoável ficar com 50% dos direitos dele, pois, se estourar, ainda garantimos uma parcela do valor.

Agora um alerta para a torcida: Não é porque Maicon permaneceu que a Libertadores está garantida. Como estamos vendo no Brasileiro, não temos um elenco tão qualificado e temos, dentre os titulares, uma certeza de desfalque (Kelvin) e duas dúvidas (Mena e Hudson). A missão é bem complicada, o Atlético Nacional é um bom time e o Boca Juniors do outro lado da chave se reforçou bem. Mesmo com a permanência de Maicon, o São Paulo não é favorito ao título. Seu novo vínculo renova nossa expectativa de sucesso, mas ele pode não ser imediato. Então, nada de criticar com fúria a diretoria em caso de insucesso nas próximas fases da competição. Eles fizeram o que pedimos. Mantiveram nosso God of Zaga. Os títulos podem não voltar em curto prazo, mas, com Maicon de capitão, certamente teremos nossos dias de glória de volta num período próximo.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: