Fred não faz como Anelka e agora é do Galo

 Texto: Rava Ogawa

8 de junho de 2016, após 7 anos, 287 jogos, 172 gols marcados, dois títulos brasileiros e a marca de “maior artilheiro da história do Campeonato Brasileiro de pontos corridos”, Frederico Chaves Guedes, mais conhecido como Fred, deixa o Fluminense Football Club rumo ao Clube Atlético Mineiro, em transferência que gerou surpresa para grande parte dos fãs do esporte aqui no Brasil. Segundo Mauro Cezar Pereira, jornalista da ESPN, sua transferência gira em torno de 1 milhão de dólares e salários 25% superiores ao que recebia no clube das Laranjeiras, seu contrato com o clube mineiro, terá duração de dois anos. Há quem diga que brigas com Levir Culpi teriam minado o espaço e o episódio do afastamento com certeza pesou para isso. Já o blogueiro Christian Muniaier, do CAMikaze, diz que “Fred é de família atleticana. Quem atesta isso são parentes e conhecidos do garoto que um dia sonhou ser jogador de futebol. A árvore genealógica do atacante é alvinegra. De mãe, pai e parteira. Em sua casa, uma coisa é certa: o bebê, ao nascer, não chora. Grita ‘Galo’!” e seguindo essa linha de raciocínio, finalmente realizaria seu sonho de criança, mas evitemos entrar no mérito desta discussão, o certo é que o “Galão da massa” passa a contar com um poderio ofensivo de fazer inveja a muitos clubes brasileiros.

Presidente do Atlético-MG confirma transferência. Foto: Twitter.
Presidente do Atlético-MG confirma transferência. Foto: Twitter.

Carreira de Fred até o Atlético-MG

Fred despontou para o futebol em 2003, jogando pelo América-MG, quando ficou famoso por marcar o gol mais rápido da história do futebol profissional até então, quando aos 3s de jogo abriu o placar contra o Vila Nova, em jogo válido pela Copa São Paulo de Futebol Júnior. No mesmo ano foi alçado aos profissionais, tendo marcado 45 gols em 51 jogos, atento a esses números, o Cruzeiro resolveu contratar o jogador em 2004, que marcou 53 gols em 71 jogos, até que o Olympique Lyonnais, da França, desembolsou 15 milhões de euros pelo mineiro de Teófilo Otoni, que ficou no clube por 4 anos (2005-2009) e anotou 41 tentos em 119 partidas, porém a falta de protagonismo somada a alguns problemas físicos o perturbavam e ele resolveu voltar ao Brasil, escolhendo o Fluminense como sua nova casa, onde foi muito útil já no seu primeiro ano, ajudando o clube a escapar do rebaixamento, em 2010 e 2012 reafirma o protagonismo ajudando o clube a conquistar o tri e o tetracampeonato brasileiro respectivamente.

Como seguirá o clube carioca sem seu maior ídolo recente?

Apesar dos pesares, Fred agregava muito ao ataque tricolor, mas não somente a isso, afinal, tornou-se uma das lideranças ativas e modelo de referência para os jovens da base, acolhendo-os quando subiam para o profissional e os “protegendo”. Sua saída deixa uma lacuna nesse quesito, já no que diz respeito a ganhos técnicos, nomes como Cícero, Magno Alves e Marcos Junior podem tentar suprir sua ausência, citaria Gustavo Scarpa também, mas aparentemente, o jovem talento também está de saída.

Poderio ofensivo do Atlético e possível saída de Pratto

A chegada de Fred ao Alvinegro mineiro dá a Marcelo Oliveira mais um excelente nome para um ataque que já possui Luan, Hyuri, Cazares, Robinho, Carlos Eduardo e Lucas Pratto, que aparentemente, deve ir para a China embora não há nada confirmado ainda, só nos resta acompanhar o desenrolar dessa história e seus próximos capítulos.

 

%d blogueiros gostam disto: