Novak Djokovic: enfim, o Career Slam

Enfim, aconteceu: Novak Djokovic conseguiu o Carrer Slam. O tenista, um dos maiores da história, é o atual campeão dos 4 Grand Slams do tênis profissional, se tornando apenas o terceiro na história alcançar tal feito.

Djoko homenageia Guga
Na comemoração, Guga é homenageado por Djoko na quadra de Roland Garros.

Que Novak Djokovic é o melhor tenista do mundo na atualidade, todo mundo já sabe. O sérvio lidera o ranking da ATP desde julho de 2014 sem ser alcançado por ninguém, e é o 5° tenista com mais tempo no posto de número 1 do mundo. Porém, ainda faltava um título para Djoko: o torneio de Roland Garros. O Grand Slam francês disputado no saibro sempre fora o pesadelo dos grandes torneios para Novak Djokovic, sem conseguir vencer o torneio após 11 disputas.

Novak Djokovic já havia batido na trave no torneio francês 3 vezes, sendo o atual bi-vice campeão do torneio após perder na final para Rafael Nadal em 2014 e Stanislas Wawrinka em 2015 (antes, perdera para Rafael Nadal em 2012). Mas em 2016 não tinha como esse título fugir dele. Sem Roger Federer e com a lesão de Rafael Nadal, o caminho estava aberto para Nole, que começou bem a campanha despachando com facilidade Yen-Hsun Lu (Taiwan), Steve Darcis (Bélgica) e Aljaz Debene (Eslovênia) nas primeiras rodadas, todas em sets diretos.

Nas oitavas de final, Djoko sofreu um pouco mais: perdeu o primeiro set para o espanhol Roberto Bautista Agut, cabeça de chave 14 do torneio. Conseguiu virar e venceu por 3 sets a 1, avançando às quartas de final onde enfrentaria Tomas Berdych. O tcheco era o cabeça de chave 7 de Roland Garros, mas mesmo assim não impôs dificuldades a Novak Djokovic, vencendo novamente em sets diretos.

Dominic Thiem seria o adversário de Djoko nas semifinais. O austríaco de 22 anos é apontado como uma das grandes promessas do tênis, fazia a melhor campanha da carreira num Grand Slam e vinha empolgado. Foi mais um atropelado por Djoko. Vitória do número 1 do mundo por sets diretos, 6-1, 6-2 e 6-4. Só faltava a final. Só faltava vencer Andy Murray.

Na gira do saibro europeu, Murray e Djokovic haviam se enfrentado em 2 finais: vitória para Nole em Madrid e para Andy em Roma. Roland Garros seria o desempate, que começou melhor para o britânico após vitória no primeiro set por 6-3.  Mas Djokovic não deixaria essa chance passar. Vibrando a cada ponto, Djoko virou o jogo com autoridade, não dando chances de Andy Murray retornar ao jogo. Venceu o segundo set por 6-1 e o terceiro por 6-2. No set final, mais equilíbrio, mas na hora decisiva Novak Djokovic aproveitou o momento: vitória por 6-4, 3 sets a 1 e o primeiro título de Roland Garros para o sérvio. O Carrer Slam estava feito.

Geisson Pereira Miranda

Mineiro, 21 anos. Estudante de Administração na Universidade Federal de Ouro Preto. Acompanha especialmente basquete, futebol americano, tênis e, claro, futebol.

%d blogueiros gostam disto: