O que aconteceu, uai?

Oito rodadas após o inicio do Campeonato Brasileiro quem diria que os mineiros estariam tão juntos na classificação do campeonato. Imaginávamos um Atlético Mineiro ao menos dentro do G4, um Cruzeiro em adaptação ao seu técnico novo, mas com algumas vitórias e entre os 10 primeiros colocados e o América Mineiro poderia ser uma grata surpresa, mas o esperado era a luta para não cair. O que temos é os três dentro da zona de rebaixamento, como e por que aconteceu isso?

O Galo estava na Libertadores, voando, um dos candidatos ao título, mas antes ainda tinha que resolver uma peleja estadual, América Mineiro na final do campeonato, Robinho, recém contratado perde pênalti na ida, o time perde e não consegue reverter, título para o Coelho.

“Beleza, vamos em frente, ainda temos a Libertadores” pensou o atleticano confiante, o time vinha bem na competição, classificado em primeiro no grupo, apesar do susto passou pelo Racing nas oitavas e pelo chaveamento era hora de enfrentar o São Paulo de Bauza, o time também era favorito no duelo, o que não foi confirmado dentro de campo, derrota na ida e amargo empate no Horto. Depois da derrota Diego Aguirre caiu e Marcelo Oliveira veio para o lugar.

No meio disso, uma vitória contra o Santos pela primeira rodada do Brasileirão parecia mostrar que o elenco era forte e caso precisasse aguentaria duas competições sem problemas, mas após a eliminação o time cambaleou, 4 empates e 3 derrotas (duas para rivais direto pelo título Internacional e  Grêmio e um clássico para o Cruzeiro).

A partir de agora, Fred, também recentemente contratado, Robinho, Rafael Carioca, Victor e todo o elenco atlético precisa reagir rapidamente se pretendem buscar algo maior no Campeonato Brasileiro, não há mais tempo para tropeços.

A fase está tão ruim que Rafael Carioca e Robinho se estranharam durante o jogo contra o Internacional.
A fase está tão ruim que Rafael Carioca e Robinho se estranharam durante o jogo contra o Internacional.

A Raposa por outro lado, viveu um primeiro semestre até que tranquilo até também bater de frente com o Coelho. Deivid – então técnico do time – acumulou dois empates e nove vitórias na fase classificatória do campeonato mineiro. Porém após uma derrota e um empate com o time do América, Deivid foi demitido.

Não é preciso ser um defensor do Deivid para concluir que uma derrota não é motivo para a demissão de um técnico e uma interrupção de um trabalho que era promissor, Paulo Bento (seu substituto) venceu o Botafogo e o Atlético Mineiro, empatou duas e perdeu quatro jogos, ele ainda não encontrou o time ideal, parece ainda não conhecer o elenco e o futebol brasileiro e não demonstra que isso irá acontecer rapidamente. A vitória no clássico aliviou a torcida, mas a derrota em casa para o Flamengo já põe Paulo Bento na corda bamba. Arrascaeta é um guerreiro solitário, Willian Bigode não demonstra interesse, Riascos não é o cara que vai tirar o time da fossa, e o restante do time parece não remar junto ao técnico.

fotocruz1_HvVngxt

Então você pensa “O América passou por cima dos dois candidatos ao título do Campeonato Mineiro, faturou o caneco e agora vive ótima fase”, o pensamento está totalmente equivocado. Givanildo de Oliveira, técnico que subiu com o clube para a primeira divisão, levou o time ao título mineiro teve somente cinco rodadas no comando do time e após tropeços foi demitido.

givanildo-de-oliveira-tecnico-do-america-mg-se-irrita-durante-a-partida-contra-o-cruzeiro-1464559291712_956x500

Os três times tem em comum que o técnico que iniciou o ano no cargo, não está no comando agora e isso não é coincidência, a falta de paciência com os treinadores, o amadorismo praticados por dirigentes deixaram os clubes nessa situação. O Galo precisa cantar e o Coelho e a Raposa precisam urgentemente acordar.

Renan Thierre

Antigamente comia areia e catarro, futuramente um professor de História, atualmente editor no HTE Sports e finge que entende de futebol e outros esportes.

%d blogueiros gostam disto: