Rugby Internacional: “O Sul se lembra”

Em época de Tour pelo mundo, as seleções têm estado bem ocupadas após um primeiro semestre super movimentado pelos clubes no hemisfério norte.

Com o fim da European Rugby Champions Cup, que consagrou a equipe inglesa dos Saracens pela primeira vez e a European Challenge Cup que tem uma nova casa depois que Montpellier a conquistou, os Test Matches estão cada vez mais empolgantes e com poucas surpresas. Mas o que veremos a seguir nos mostra a maior surpresa da semana até agora.

Depois de perder para os All Blacks na partida de estreia do tour pela Nova Zelândia por 39-21, a seleção de Gales teve outro revés nesta terça-feira.

Na segunda partida do tour pela Nova Zelândia, País de Gales perde de forma vexatória para a equipe do Chiefs.

Os galeses, comandados pelo multicampeão Warren Gatland, não resistiu à derrota no jogo anterior e cedeu às investidas dos Chiefs desde o 7º minuto de jogo, quando Stephen Donald começou a acabar com o jogo ao marcar um try. Stephen, que foi o 3º abertura reserva na RWC2011 após Dan Carter, Aaron Cruden(ambos por lesão) e a improvisada investida de Piri Weepu terem falhado na final contra a França, em Eden Park, converteu o último chute da partida, vencendo a RWC2011 por 8-7 ~Assista ao documentário do famoso chute aqui~, comandou os Chiefs para uma vitória histórica frente aos tetracampeões do Six Nations(2005, 2008, 2012 e 2013).

Surpreendentemente, os Chiefs tiveram 10 ausências, alternadas entre lesões, convocações da garotada para o Mundial Sub20(JWC2016) e convocações para a seleção principal dos All Blacks e mesmo assim dominou o jogo de forma incrível. Do lado negativo, a seleção de Gales não teve forças ou inteligência emocional para esboçar uma reação e sucumbiu por 40-7, com o capitão Sam Warburton assumindo a culpa pela performance muito aquém de seu selecionado.

No país vizinho, a ~nova~ Inglaterra enfrenta a Austrália e leva vantagem em tudo

Maro Itoje (ao centro) disputa espaço com Rob Simmons(esquerda)

Na primeira partida do confronto entre Austrália e Inglaterra deu A Rosa. Os ingleses comandados por Eddie Jones estão completamente recompostos após o vexame na RWC2015, demonstrando isso ao vencerem o SN2016 de forma invicta e se reforçando cada vez mais para os próximos torneios e se preparam para o jogo 2 de forma cautelosa, tendo apelado inclusive para o tour dos British & Irish Lions de 2001, que estavam vencendo a série de 3 por 1-0 na ocasião e perderam por 1-2 com dois reveses históricos.

O destaque máximo desta geração inglesa é do segunda-linha/terceira-linha Maro Itoje. O jogador foi eleito o melhor jogador da Europa, conquistou a ERC2016 com os Sarries e segue numa crescente incrível. Aos 21 anos, o jogador tem decidido cada vez mais jogos e se tornou um dos melhores jogadores da atualidade.

Confira abaixo os outros resultados:

África do Sul 20-26 Irlanda

Argentina 30-24 Itália

Samoa 19-19 Geórgia

Canadá 26-22 Japão

Vinícius Guedes

Administrador de Empresas pela UFRRJ, Segurança Privado, Árbitro de Rugby pela RioRefs, jogador pelo Itaguaí Rugby. Gosta de esportes, filmes, séries e muita música.

%d blogueiros gostam disto: