Rugby Internacional: As Novas Regras

2016 tendrá pruebas a las leyes y algunos cambios menores

O mundo rugbístico está sempre em desenvolvimento e 2016, o ano dos Jogos Olímpicos, o ano dos Jaguares e dos Sunwolves no Super Rugby, o ano em que a Inglaterra não perdeu ainda, o ano de terceiro lugar dos Pumitas no JWC2016 está sendo um ótimo ano para o crescimento do esporte. Não será diferente na alta cúpula da World Rugby, que decidiu implementar novas regras a partir de primeiro de Julho de 2016. Abaixo vêm as mudanças:

  • A substituição de um jogador lesionado causado por uma jogada suja não conta como uma substituição normal. Entenda: a regra atual permite que somente 8 jogadores sejam substituídos ao longo do jogo e, em caso de perda de um especialista de primeira linha por lesão ou cartão amarelo, o time pode substituir um jogador que já foi anteriormente substituído para disputar o scrum, antes que opte pelo scrum sem carga (uncontested scrum);
  • A lei da vantagem poderá ser aplicada após um “scrum colapsado”, se não houver risco para a segurança dos jogadores envolvidos. Na verdade, os critérios de interrupção de jogo após um scrum mal sucedido são bem rigorosos, prezando pela segurança dos jogadores em primeiro lugar. Quem decide se um scrum é seguro ou não para que a bola seja introduzida ou levar o jogo adiante após um scrum é o árbitro e somente ele;
  • Simulações têm sido cada vez mais frequentes no mundo do rugby, infelizmente. A World Rugby, desde 2014 vem tratado este tipo de antijogo de forma muito séria e a luta é eterna, porque cada vez mais jogadores estão desistindo da continuidade e simulando uma lesão, fingindo um contato ilegal e muitas outras atitudes provenientes do futebol. Um jogador que faz isso está sujeito a ser punido;
  • As equipes devem estar prontas em até 30 segundos após o scrum ser marcado pelo árbitro, a não ser que o tempo precise ser paralisado para atendimento ou qualquer outro tipo de paragem;
  • O recomeço de um scrum que girou 90 graus será feito pela mesma equipe que o introduziu, não com a equipe que detinha a posse da bola no momento da infração, como na regra anterior;
  • O half-scrum do time que não detém a posse da bola em um scrum não pode se infiltrar na linha entra o Asa e o Oitavo. Anteriormente, a regra dizia que ele não podia ficar à frente da linha da bola, somente.
  • Quando a bola chega aos pés do oitavo em um scrum e o scrum não evolui por 3 a 5 segundos, o árbitro solicitará que a bola seja jogada, obrigando assim uma ação imediata do jogador detentor da posse.

Mudanças nas regras de maul

Quando um maul é formado, o jogador em posse da bola não pode simplesmente ir para trás da formação obrigando-o, assim, a passar a bola de mão em mão até o jogador mais distante da formação, que deve estar em contato com a formação e, consequentemente, com o jogador que iniciou a formação a todo o tempo.

 

As regras de scrum entram em vigor no dia 1º de Julho de 2016 e a nova regra de maul já está vigorando desde o 1º de Junho de 2016. Esperamos que sejam um sucesso estas novas regras e que, principalmente, os princípios do jogo sejam respeitados sempre: Disputa, Continuidade e Diversão.

Vinícius Guedes

Administrador de Empresas pela UFRRJ, Segurança Privado, Árbitro de Rugby pela RioRefs, jogador pelo Itaguaí Rugby. Gosta de esportes, filmes, séries e muita música.

%d blogueiros gostam disto: