Seleção Olímpica – A convocação de Micale nos levará ao Ouro?

Nesta terça-feira (29) foram anunciados os 18 jogadores convocados pelo treinador Rogério Micale para a disputa dos Jogos Olímpicos 2016, no Rio de Janeiro. A lista conta com nomes que já eram dados como certos, como Neymar e Marquinhos, mas também com surpresas como a presença de Douglas Costa e o goleiro Uílson, do Atlético Mineiro.

Em um contexto geral, a convocação foi boa. Devido às poucas vagas disponíveis, Micale chamou aqueles que ele considerou em melhor momento ou que podem desempenhar mais uma posição em campo, como são os casos de Zeca, do Santos e também de Rodrigo Caio, do São Paulo. Outros atletas teriam sido chamados para algumas posições se seus clubes os liberassem, como foram os casos de Thiago Silva, do PSG e Casemiro, do Real Madrid.

ANÁLISE – POSIÇÃO POR POSIÇÃO

convocação olímpica

GOLEIROS: Fernando Prass (Palmeiras) e Uílson (Atlético/MG)

“O Prass agrega todos os aspectos técnicos, além da liderança”. Essa foi a frase de Rogério Micale para justificar a convocação do experiente goleiro do Palmeiras. Fernando Prass, que terá 38 anos quando a Olimpíada começar, nunca havia vestido a camisa da Seleção Brasileira. Considero uma convocação justa e na hora certa. Apesar de não ser a melhor opção, visto que não é convocado para a seleção principal, a liderança de Prass pode ser fundamental para comandar os garotos da seleção olímpica.

Já a convocação de Uílson não foi boa. Rogério Micale utilizou seus conhecimentos da base do Atlético Mineiro, pois trabalhava lá antes de assumir o projeto da seleção, para chamar o goleiro de 22 anos. Uílson teve oportunidades com as lesões dos goleiros do elenco do Galo e não foi bem, falhou mais de uma vez. Acredito que tínhamos melhores opções: Gabriel, do Milan; Caíque, do Vitória; Gasparotto, do Santos; Jacsson, do Internacional; Jordi, do Vasco; entre outros.

LATERAIS: Zeca (Santos), William (Internacional) e Douglas Santos (Atlético/MG)

A única surpresa, para mim, foi William. O lateral do Internacional têm bons números e foi uma boa alternativa de Rogério Micale à Fabinho, que não foi liberado pelo Monaco. As outras duas posições eram óbvias. Douglas Santos, convocado para a Copa América, era nome certo. No entanto, gosto muito de Wendell, do Bayern Leverkusen e Alex Telles, do Galatasaray. Zeca, do Santos, foi convocado por sua versatilidade. O jogador pode atuar tanto na direita, quanto na esquerda.

ZAGUEIROS: Rodrigo Caio (São Paulo), Luan (Vasco) e Marquinhos (PSG)

Sem grandes surpresas. Esperava a convocação de Thiago Silva, mas provavelmente o PSG não liberou. Com isso, Marquinhos, apesar de jovem, será o mais experiente do setor. Em grande fase, Luan, do Vasco, é uma excelente alternativa. Rodrigo Caio, assim como citamos ao falar de Zeca, foi convocado por sua versatilidade, podendo atuar como zagueiro e também como volante.

VOLANTES: Thiago Maia (Santos), Rodrigo Dourado (Internacional) e Fred (Shakhtar)

O único grande acerto, em minha opinião, foi a convocação de Thiago Maia. O volante do Santos joga muito bem e está em boa fase. Gosto do futebol de Rodrigo Dourado, mas ele voltou recentemente de contusão. É um bom jogador, mas Walace, do Grêmio, merecia mais. Já Fred, nem comento. Acho um jogador sem nível técnico para seleção.

MEIAS: Rafinha (Barcelona), Felipe Anderson (Lazio), Douglas Costa (Bayern)

Bons nomes. Essa é uma posição onde tínhamos várias opções e acredito que foram chamados aqueles que podem contribuir mais. Douglas Costa é uma boa adição, apesar de ter tirado a vaga de um jovem jogador como Andreas Pereira, por exemplo. Rafinha e Felipe Anderson são unanimidades.

ATACANTES: Neymar (Barcelona), Gabriel Jesus (Palmeiras), Gabriel (Santos) e Luan (Grêmio)

Outro setor onde tínhamos muitas opções. Micale levou aqueles que já eram esperados. Difícil mesmo será para o treinador escolher quem serão os companheiros de Neymar no comando de ataque da Seleção Brasileira. É aqui onde estão nossos maiores talentos.

O QUE ESPERAR?

Devemos ter uma Seleção Olímpica muito veloz e muito ofensiva. Acredito em um 4-3-3 com a seguinte formação: Fernando Prass; William, Rodrigo Caio, Marquinhos e Douglas Santos; Thiago Maia, Rafinha e Douglas Costa; Gabriel Jesus, Gabriel e Neymar.

É o que temos de melhor? Não, principalmente por causa dos jogadores não liberados pelos clubes para a disputa dos Jogos Olímpicos, mas temos muito talento, bom material humano e um treinador de qualidade que conhece jogadores mais jovens e sabe como trabalhá-los. As expectativas são boas. Basta ao Brasil fazer o simples, jogar o que sabe e assegurar o tão sonhado ouro olímpico.


Foto: Rafael Ribeiro / CBF
Imagem: CBF

Heider Mota

Baiano, 19 anos, estudante de jornalismo e amante dos esportes. Twitter: @heiderzito

%d blogueiros gostam disto: