Análise de público do Brasileirão 2016

Em 2016, a CBF distribuiu os todos os jogos do Brasileirão em datas diferenciadas, sendo assim temos um número menor de jogos acontecendo ao mesmo momento.

Para analisarmos a assiduidade do torcedor nas arquibancada não basta somente pegar média de público, média de ocupação do estádio, temos também de analisar o dia e horário que o jogo acontece. Quantas vezes o clube jogou no horário nobre do futebol? Os jogos das 11h são realmente eficazes? E os de segunda-feira, vão funcionar? Com informações retiradas do GE.com discorreremos sobre isso.

O Palmeiras com sua nova casa, o Allianz Parque, é primeiro colocado em ocupação média (71%), o segundo colocado em média de público (30.684 pagantes por jogo) mesmo possuindo o ticket médio mais caro (R$58) e jogando apenas 2 vezes no horário nobre (quarta às 21h45 / domingo às 16h) em seu estádio. Obviamente o fato de o time estar liderando o campeonato faz com que o torcedor se torne mais assíduo.

BR

Analisando friamente os dados percebemos que há uma discrepância muito grande entre esses números, O Furacão apenas uma vez jogou no horário que o senso comum conhece como horário de futebol enquanto os tricolores paulista e carioca jogaram 9 e 8 vezes respectivamente).

Os jogos de domingo às 11h vem para mudar esse estigma, a insistência da CBF nesses jogos pela manhã vem dando resultado, a média de público é alta e até clássicos estão sendo disputados nesse horário.

 A novidade deste ano são os jogos de segunda-feira para fechar a rodada, Sport x Palmeiras estrearam o horário e a aceitação do público foi boa, 26.968 pessoas foram à Ilha do Retiro, sendo que a média total do Sport é de aproximadamente 12 mil pessoas.

Quase 28 mil pessoas foram ao duelo entre Palmeiras x América em plena terça-feira.

Mas sábado – principalmente às 21h – ainda é um sacrilégio ao torcedor, os públicos são pífios, com as exceções de sempre onde independente do horário a torcida está para apoiar (Palmeiras e Corinthians por exemplo). O América Mineiro, Botafogo e Santa Cruz são os destaques negativos, com rendas líquidas negativas e arquibancadas vazias os clubes não consegue levar o seu torcedor ao estádio.

O modelo de tabela do futebol brasileiro parece que está sendo adequado ao horário da NFL, onde sempre um jogo abre a rodada na quinta-feira, os jogos de domingo (sendo um deles o SNF, horário nobre) e um confronto fecha a rodada na segunda-feira. É importante a distribuição de jogos em horários distintos, com bons jogos em dias que não estamos acostumados, porém é necessário aplicar justiça nessa distribuição, não podemos ter clubes de menor expressão sempre sendo jogados para horários alternativos ou sendo usados no horário nobre somente quando joga em casa contra um clube de maior expressão para a TV Aberta transmitir.

Particularmente eu acho que seja uma decisão acertada da CBF essa distribuição, porém como o nosso futebol ainda é dependente da Rede Globo, ela que define a distribuição para assim ficarem com  os jogos que – teoricamente – gera mais audiência nos horários que ela transmite. As vendas estão sendo tiradas dos torcedores e todos estão começando a perceber que essas algemas entre o nosso esporte e a Grupo Globo só prejudica e acaba com o futebol nacional.

Renan Thierre

Antigamente comia areia e catarro, futuramente um professor de História, atualmente editor no HTE Sports e finge que entende de futebol e outros esportes.

%d blogueiros gostam disto: