CANTO DO MANTO #2 – Sem cheirinho, mas com muito otimismo

Começo o texto com algo que não é comum, mas que era bastante esperado pelos torcedores flamenguistas, após muitos anos de times limitados terminando no meio da tabela: estamos em segundo lugar e disputando título desde o começo do campeonato. Estranho ler isso, né? Mas é exatamente isso que está acontecendo. Nada de cheirinho de hepta (parem com essa merda, pelo amor de Deus!), nada de otimismo exacerbado. Você não verá isso nessa coluna. Somos um bom time, que tem um elenco variado e decente, principalmente se comparado com os outros times do Brasileirão que estão abaixo da gente e temos tudo para disputar título até o final e garantir, no mínimo, uma vaga na Libertadores do ano que vem.

Dito isso, vamos relembrar e comparar com o que eu disse um mês atrás (desculpem o abandono o trabalho está acabando comigo, mas prometo ser mais presente nesse final de temporada). No primeiro texto do Canto do Manto, falei dos nossos goleiros e disse que Alex Muralha deveria ser titular e cortar aquele cabelo lamentável. Depois da última partida com PV no gol, acho que nem preciso me explicar. Acertei por muito. Sobre a zaga, a minha previsão não se confirmou. Mas temos quatro peças boas. Donatti, mesmo muito mal na última partida, é um bom jogador e não deve ser crucificado por uma partida ruim. Nós aturamos jogadores piores por muito mais tempo.

Sobre o time de futebol ter um porradeiro acertei novamente: o time funciona muito melhor com Marcio Araujo. Me perdoem deuses do futebol por proferir essa frase. Peço perdão pela segunda vez. Mas sim, o futebol não tem sentido. E por isso nós amamos tanto! O nosso meio campo continua oscilando, mas Arão, Mancuello, Alan Patrick estão revezando em fazer boas partidas e resolver o jogo para gente. Diego realmente chegou e deu um toque de qualidade a mais ao elenco. Se mantiver o ritmo e as atuações podemos sonhar alto com esse time. Não lembrava qual era a sensação de ter um craque desde o Ronaldinho jogando com o Manto e olha, dessa vez o time é muito melhor e pode dar liga. Literalmente.

Sobre o ataque eu errei rude. Errei grosso. Mas peço desculpas. Os mais otimistas falariam que eu “ziquei ao contrário” e eu acho que assim fica melhor e alivia o meu lado. No último texto eu critiquei os três atacantes do nosso elenco. Pois bem, Guerrero começou a fazer muitos gols e a ter boas atuações com a camisa rubro negra. Quando não marca, luta muito ali na frente e auxilia na construção de jogadas perigosas ou de gol. Felipe Vizeu perdeu um pouco de espaço, mas quando entra também tem feito boas partidas. Ainda não tirei as aspas do “promissor” e ainda acho ele bastante limitado, mas o garoto está conquistando cada vez mais o meu respeito e também o da torcida do Flamengo. Já Leandro Damião é nosso reserva de luxo e está ali no Flamengo para tentar bicicletas absurdas e fazer gol de pênalti. Se isso é estar errado, eu não quero estar certo. E quando até jogadores desacreditados por todos dão certo com a camisa rubro negra é que devemos ficar otimistas.

Zé Ricardo não é mais treinador interino (boa decisão da diretoria!) e o trabalho ainda não é perfeito, porém o Flamengo tem consistência, jogadas ensaiadas e um futebol nota sete. Não é o ideal para jogar uma Libertadores, por exemplo, mas repito e reitero: disputar o título do Brasileirão é algo bastante possível. Temos mais algumas rodadas pela frente que parecem promissoras se o futebol jogado permanecer assim. E vamos lembrar que nossa casa está voltando a partir de setembro. Vem Maraca! Que saudade de você! Desejo boa sorte ao time, só peço raça e disposição a quem entrar e campo e torço muito para sairmos campeões esse ano. Flamenguista é acostumado com título e não pode ficar muito tempo em jejum. Saudações rubro-negras!

Lucas Farias

Carioca, 25 anos, nem um pouco jornalista, mas apaixonado por esportes, principalmente futebol. Flamengo, Tottenham, Miami Heat e New Orleans Saints.

%d blogueiros gostam disto: