De Bandeja – Renovação Francana

Comentamos bastante aqui sobre o atual momento da gestão do basquete brasileiro e do futuro incerto da modalidade no país. Das trocas de treinador nas seleções masculinas e femininas, dos problemas financeiros da CBB e da intervenção da FIBA, somente notícias ruins vieram. Porém, há algumas luzes no final do túnel e hoje vamos comentar sobre uma delas, localizada na cidade de Franca, que outrora, com muita justiça, foi chamada de capital do basquete.

Outrora porque já faz alguns anos que Franca deixou de ser protagonista no basquetebol nacional. Já alguns anos que uma das equipes mais tradicionais do país não chega as semi-finais do NBB e vê rivais do estado como Bauru e Mogi das Cruzes, e de outras regiões, como o Flamengo e Brasília serem mais reverenciados com títulos e conquistas nacionais e intercontinentais. Sequencias de gestões financeiramente ruins esvaziaram a equipe e o Pedrocão.

Porém, nos últimos anos, a equipe e a cidade estão tentando se reerguer. Um comitê com as maiores empresas da cidade e a prefeitura foi formado para gerir a parte administrativa da equipe. O ex-armador Helinho, filho do grande Hélio Rubens e cidadão francano, agora será o treinador da equipe principal. E já fez uma importante lição de casa acompanhando nas finais da NBA o trabalho de Steve Kerr e Luke Whalton no Golden State Warriors, trazendo bastante bagagem internacional para comandar esse processo de “renascimento” da equipe.

Mas de nada adiantaria tudo isso se não houvesse mão de obra, ou seja, jogadores de talendo para serem trabalhados e lapidados. No último dia 10 de setembro ocorreu as finais da LDB (Liga de Desenvolvimento de Basquete, competição da NBB somente com jogadores até 22 anos) e a equipe de Franca, que contou com parceira do SESI, levou o título para casa. No derradeiro jogo, vitória sobre o São José por 66 x 50. E, mais importante que o título, a inclusão de 4 jogadores na seleção da competição, sendo três deles no primeiro time: o armador Alexey Borges (21 anos), o pivô João Pedro Demétrio (21 anos) e o armador Cassiano (19 anos).

Alexey quebrou seu recorde pessoal de pontos na LDB ao registrar 24 no jogo contra o Flamengo na Série Ouro, e de eficiência, com o “quase triplo-duplo” na fase de grupos contra o Ginástico/Olympico – 15 pontos, 11 assistências, nove rebotes e 32 de eficiência. Além disso, foi o grande destaque do Franca na “final” contra o São José na rodada final da Série Ouro, com nada menos que 19 pontos, cinco assistências e 20 de eficiência. Certamente, a atuação na partida do título veio como a “cereja” do lindo bolo que foi para ele esta LDB. Por mais que não tenha sido o MVP, Alexey merece muitos aplausos.

João Pedro foi eleito o Jogador Mais Valioso da Série Ouro da LDB, o pivô João Pedro Demétrio, de 2,09m de altura, do campeão Franca Basquete, teve todos os méritos para conquistar as glórias que conquistou, e tem lugar merecidíssmo na posição 5 da Seleção da edição 2016 do maior campeonato de base do basquete brasileiro. Em sua quarta participação na LDB, João Pedro não precisou somar suas melhores médias da carreira para ser confirmado como MVP da Série Ouro. Com domínio nas áreas pintadas em São Bernardo do Campo (SP), o atleta somou médias de 10,8 pontos e 10,1 rebotes nas cinco últimas partidas e faturou o merecido troféu após o título. Apesar de ter características e até mesmo sotaque francano, João Pedro é natural de Santos (SP), mas por estar na Capital do Basquete desde 2011, passou a adotar o estilo puramente de Franca, com a bola nas mãos e também na vida. “Jay”, como é conhecido, é um pivô completo, com força física e ótima técnica, capaz de fazer ganchos e bandejas com as duas mãos, além de um ótimo tempo de bola nos rebotes.

E Cassiano foi um dos homens que vêm do banco. O jovem armador, nascido em Porto Alegre (RS) se sobressai por sua incrível força e explosão física, além de uma técnica que vem sendo melhorada a cada ano. Na defesa, Cassiano é um verdadeiro “carrapato”, um terror para qualquer armador que vá levar a bola. Se ele está te marcando, não terá paz. Essas características fazem com que o técnico Daniel Wattfy o use efetivamente no time Sub-22, muitas vezes ao lado do também armador Alexey, e também na equipe adulta, comandada pelo ex-armador Helinho Garcia.

João Pedro e Alexey já estão na equipe principal adulta que se prepara para a próxima edição da NBB com a disputa do campeonato paulista. São bons nomes jovens que devemos ficar de olho já que teremos uma renovação grande na seleção brasileira, uma vez que jogadores como Marcelinho Huertas, Anderson Varejão, Thiago Splitter e Nenê Hilário não deverão mais vestir a camisa verde-amarela pela suas idades. O próximo ciclo olímpico deverá, então trazer muitas novidades. Que a renovação francana seja efetiva e traga bons nomes para o basquete brasileiro.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: