Em 2016, o Fortaleza precisa escrever uma nova história

Por Marques de Souza

Campina Grande, PB

A saída de Marquinhos Santos surpreendeu. O treinador se despediu do Fortaleza, nas quartas de final da Série C e se transferiu para o Figueirense, que no momento ocupa a 17ª posição na Série A do Brasileirão, o primeiro da zona de rebaixamento. Jovem, o profissional se viu seduzido pela possibilidade de um trabalho na elite do futebol nacional, que pode vir a render bons frutos, com a permanência do time na primeira divisão, mas também pode dar errado. Previsões no futebol é arriscado, especialmente em equipes nessa situação.

Com passagens por Coritiba e Bahia, o treinador havia chegado ao Fortaleza em março deste ano, substituindo Flávio Araújo, que não fazia boa campanha. No Tricolor, ganhou o Campeonato Cearense, levou a equipe às oitavas da Copa do Brasil e estava a dois jogos de conseguir o acesso à Série B, após oito anos na terceira divisão.

O legado de 36 jogos, sendo 19 vitórias, nove empates e oito derrotas, não deve ser esquecido. Mas é preciso que seja superado. Passados alguns dias da saída de Marquinhos, e já com treinador novo (Hemerson Maria, catarinense, ex-Joinville), o Tricolor do Pici precisa se apoiar no seu passado, para construir um futuro diferente. A diretoria, por exemplo, é ciente que em momentos como esse, é preciso fechar o grupo e deixar bem claro qual o objetivo: o acesso.

É uma verdadeira história de cinema.

Especialmente no mata-mata, o Fortaleza viveu episódios que vão da euforia a tristeza, numa espécie de roteiro que parece ser seguido há alguns anos, mas que dessa vez não deve mais ser colocado em prática. Nesse filme de suspense com um final de terror, o personagem principal, a torcida, acaba se decepcionando. Desta vez, eles querem algo novo.

Na temporada de 2016, as expectativas giram em torno de um final feliz, que sempre foi esperado. Um filme diferente onde, no final, a crítica e o público possam comemorar mais um grande lançamento, uma mega-produção Tricolor com novos capítulos. Em mais um récorde de bilheteria e festa na Arena Castelão. Com gravações de alegria e cenas na Série B. 

%d blogueiros gostam disto: