MNF Week #1 – Rodada dupla para não entender

Como é de costume na NFL, o primeiro Monday Night Football da temporada reserva uma rodada dupla. E foram dois passeios. Em Washington, os Steelers venceram por 38 x 16 os Redskins com grande atuação da dupla Ben Roethlisberger e Antonio Brown. E na reestreia de um time de Los Angeles na NFL, os Rams tomaram um vareio de bola dos 49ers, perdendo em San Francisco por 28 x 0. Vamos aos comentários pontuais sobre cada um dos jogos e o que não dá para entender, como diz o título desse texto, nas partidas.

Redskins 16 x 38 Steelers
img_20160913_094618A equipe da capital dos EUA até começou bem o jogo, pressionando Big Ben e forçando turnovers dos Steelers, mas não passou de dois FG nas duas primeiras campanhas. A defesa de Pittsburgh, tão contestada na temporada passada, fez um bom trabalho durante praticamente todo jogo, pressionando muito Kirk Cousins e com boa cobertura na secundária, permitindo apenas avanços curtos do ataque dos Redskins. Roethlisberger encontrou seu ritmo ideal e Antonio Brown deitou e rolou na secundária da equipe de Washington. O QB terminou o jogo com 27 acertos de 37 passes tentandos, para 300 jardas, 3 TDs e 1 interceptação (ocorrida em falha assumida do novato Eli Rogers). Brow foi responsável por 126 e 2 TDs.

E o que não deu para entender? Como os Redskins gastaram uma bala para contratar Josh Norman, considerado um dos melhores CBs da liga na temporada passada, e não colocou ele para marcar o melhor WR da NFL na atualidade? Bashaud Breeland foi presa muito fácil para Antonio Brown e em momento nenhum o playcalling defensivo foi alterado para corrigir essa falha gritante da marcação na secundária. Se for contratar o melhor CB da Free-Agency, não é justo colocá-lo para marcar o melhor WR adversário? Vamos ver se os Redskins corrigem isso nas próximas rodadas.

49ers 28 x 0 Rams

img_20160913_093850O jogo começou com foco no protesto liderado pelo QB reserva dos 49ers Colin Kaepernick. Já escrevi minha opinião sobre o tema aqui e não irei mais gastar linhas com isso. Com o jogo em andamento, vimos a equipe dos 49ers forçando muito o jogo terrestre com Carlos Hyde, que correu 23 vezes para 88 jardas (média de 3.8 por carregada) e 2 TDs. Blaine Gabbert conduziu bem o ataque, com segurança. Não é o QB dos sonhos dos torcedores de San Francisco, mas vive desde a temporada passada um momento melhor que Kaepernick. O jogo aéro produziu pouco, apenas 170 jardas, mas não cedeu nenhuma interceptação. Ao passo que o ataque dos Rams foi pífio. Case Keenum, que não se sabe por que está lá, lançou apenas 130 jaradas (17/35) e duas interceptações, com um rating de 34.2.

O que não deu para entender? Os Rams hipotecaram boa parte de seu futuro no draft desse ano para subir para primeira escolha geral e escolher o QB Jared Goff. E o novato não foi nem reserva na primeira rodada da equipe! Não que Goff seja o novo Kurt Warner para os Rams, mas qual o motivo de ele não ser nem chamado para o jogo, ficar como backup. Quando a vaca já tinha deitado, lá pelo metade do segundo tempo, será que não seria importante dar alguns snaps para ele ir se ambientando? Afinal um QB que custou tanto no draft vem para ser franchise player, não? Enfim, é bom Jeff Fisher abrir o olho, pois a empolgação da cidade de Los Angeles de ter um time novamente pode virar-se logo logo contra ele.

Crédito/Imagens: Twitters oficiais dos Steelers e 49ers

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: