TNF – Bengals “meia-boca” vencem um Dolphins sem alma

Primetime, quinta-feira, duas equipes com retrospecto negativo na AFC. Bengals e Dolphins duelaram em busca de recuperação na tabela, buscando mostrar força e correr atrás do prejuízo nas suas respectivas divisões. Mas o que se viu foram duas equipes que terão de melhorar bastante se quiserem chegar em algum lugar na temporada.

No primeiro quarto, o jogo parecia promissor. A primeira campanha dos Bengals teve um bom ritmo, mas terminou em um Field Goal. Já os Dolphins mostraram uma incomum explosão: em dois snaps, chegaram a um TD, graças ao passe de 74 jardas de Ryan Tannehill para Kenny Stills. A partir daí, o jogo foi um monólogo dos Bengals.

AJ Green apareceu muito bem no primeiro tempo, terminando a etapa com 123 jardas recebidas. Os Dolphins não conseguiram impor seu jogo corrido, muito menos conectar passes. Punts foram a tônica do ataque dos Dolphins. Já os Bengals pareciam não querer matar a partida, mais uma vez tendo problemas na red zone.

No segundo tempo, apesar de uma partida relativamente boa da defesa, os Dolphins sucumbiram com seu ataque pedante. Os erros de Ryan Tannehill, que terminou com 189 jardas lançadas, 1 TD e uma INT, foram gritantes. Claramente, um game manager e nada mais que isso. Quando Miami precisa do seu braço para vencer jogos, ele mostra que não tem tal capacidade. Já os Bengals, controlaram o relógio, anotaram apenas dois FG, mostrando que também ainda tem muito o que evoluir se quiserem bater de frente numa divisão que tem o Baltimore Ravens e o Pittsburgh Steellers.

Já os Dolphins, amplamente cornetado por Paulo Antunes durante todos os snaps da partida (inclusive no touchdown marcado), seguem sendo uma das franquias mais “inofensivas” da liga. Todo ano o time apresenta algum problema grave e não consegue solucionar. E o pior: nada no horizonte parece mostrar uma saída para os torcedores de Miami…

%d blogueiros gostam disto: