Turnover: Alguém acredita em Sam Bradford?

Smack Neto

O título da coluna é a pergunta que me fiz quando fui informado da troca entre o Philadelphia Eagles e o Minnesota Vikings pelo QB Sam Bradford. Na movimentação, os Vikings ofereceram aos Eagles uma escolha de primeira rodada no próximo draft, além de uma escolha de 4ª rodada (que pode virar até 2ª dependendo da produção de Bradford). A troca veio após a notícia de que o QB titular dos Vikings, Teddy Bridgewater, teve diagnosticado uma lesão no Tendão de aquiles e fica de fora de toda a temporada. Tive que ler algumas vezes, de múltiplas fontes, para acreditar na troca. O leitor da coluna deve estar me achando um corneteiro do Sam, mas vamos aos fatos:

Bradford vem de uma temporada discreta com os Eagles. Em 2015, ele teve números que podem ser considerados, no máximo, regulares. Lançou para 3.725 jardas, com 65% de passes completados. Lançou 19 TD’s e 14 INT, além de 10 Fumbles, ficando com um rating de 86.4. Mas alguém pode falar “Ah, mas ele teve um ano ruim, mas a carreira teve seus bons momentos”. Pode até ser que sim, mas no conjunto da obra, a troca também não se justifica: 60% de passes completos, Rating de 80.1, 78 TD’s, 52 INT e 36 fumbles. Ou seja, na carreira, Bradford tem 10 turnovers a mais do que passes para touchdowns.

Repito a pergunta do título: Alguém acredita em Sam Bradford? Estamos falando de um jogador indo para a sua sétima temporada na liga, que nunca conduziu nenhuma equipe para os playoffs. Que já teve diversas contusões e que tem dificuldades para jogar uma temporada inteira saudável.  Com tudo isso, os Vikings deram uma pequena fortuna acreditando que irão aos playoffs conduzidos por Bradford. E, a não ser que ele faça o que nunca fez na NFL, isso não irá acontecer.

Provavelmente os torcedores do Vikings que acompanharem esta coluna estão esperançosos com a reedição da parceria com Adrian Peterson, quando jogaram juntos em Oklahoma. Ou estão otimistas por Norv Turner, coordenador ofensivo dos Vikings, ser um conhecido desenvolvedor de QB’s. Eu sinceramente não acredito nessa magia.

Para os Eagles, a troca veio do céu. A equipe já havia dado mostras de que Bradford não era o seu projeto para franquia quando draftou Carsos Wentz no draft da NFL deste ano. Aparentemente, a ideia era desenvolver Wentz como backup enquanto Bradford jogasse por mais um ou dois anos. Só que a proposta desesperada de Minnesota apressou o plano e Wentz deve ser titular já na semana 1, se conseguir se recuperar de lesão sofrida na pré-temporada. Lembrando que Bradford é um dos últimos resquícios das aquisições controversas do ex-treinador em Philly, Chip Kelly.

A verdade é que Minnesota briga com os Packers que devem vir com tudo para recuperar o domínio na divisão, principalmente com a volta do WR Jordy Nelson, que perdeu a temporada passada inteira por lesão. Com uma tabela com nível de dificuldade média, os Packers são os favoritos para levar a divisão. A perda de Teddy Bridgewater deve custar a temporada dos Vikings. E duas escolhas no draft de 2017 jogadas no lixo.

%d blogueiros gostam disto: