HOSPÍCIO #84 – Quase perfeito

2016, um ano fora do padrão para o Corinthians dos últimos anos, dentro e fora de campo. Foram técnicos, vieram técnicos. O diretor de futebol saiu, jogadores saíram, e a qualidade do time diminuiu. Porém, mesmo com tudo isso, surge uma única esperança: a vaga no G6. De um Corinthians que não tem qualidade técnica, mas, principalmente, no jogo passado, repôs a técnica na raça.

hospício

A vaga no G6 é uma realidade. A 32ª rodada terminou, e na tabela, lá se podia ver o Corinthians. Sinônimo de vaga na Libertadores e várias outras coisas, como uma renda maior no ano que vem e as pazes, de certa forma, com a torcida.

O empate contra o Flamengo foi injusto. O Corinthians merecia ter ganhado. Não só pelo gol impedido, mas pela vontade que o time demonstrou. Todos sabem que há um abismo entre os dois times em 2016, mas, mesmo assim, quem mereceu ganhar foi o Timão. Quase perfeito, pelo empate. Quase perfeito, pela disputa de uma vaga na Libertadores (poderia ser pelo título). Quase perfeito, pelo técnico (apesar do bom começo do Oswaldo, a maior parte gostaria da continuidade de Tite). Quase perfeito. Aguardemos o final do ano. Com uma vaga na Libertadores, que é possível.

Nota triste do jogo foi a prisão de torcedores inocentes. Dentre eles, um conhecido desse que vos escreve, e que não estava na confusão, não é membro de torcida organizada e sequer foi ao estádio com caravana. Estava em outro ponto quando a briga ocorreu. Mesmo assim, foi detido. Como deve acontecer em muitos dos jogos aqui no Brasil, mas não sabemos. Vários “chegados” se mobilizaram, principalmente do Butti Talk Show, que é de onde o conheço. Todos aguardam justiça. Fica o registro.

Thiago Cunha Martins

Paulistano, alvinegro, co-fundador e Diretor-geral do HTE Sports. Jornalismo por paixão, Psicologia por vocação. Adorador do futebol e tudo o que o rodeia. Fã curioso da NFL, UFC e eventual seguidor de outros esportes

%d blogueiros gostam disto: