Sada/Cruzeiro é tricampeão mundial

Vitórias podem aparecer para muitos, mas a glória só chega para quem realmente merece. Não se faz um time multicampeão da noite para o dia e perpetuar resultados tão grandiosos é feito para poucos. Pela terceira vez na sua história, o Sada Cruzeiro é o campeão mundial de clubes de vôlei masculino. O mais novo e importante título veio neste domingo após vitória por 3 a 0 (25/21, 25/23 e 25/15) sobre o Zenit Kazan, da Rússia, na final do Mundial, que teve o ginásio Divino Braga, em Betim, como palco.
Ter sido campeão do maior torneio de equipes do planeta em 2013, foi além do que qualquer outro time na história do país já havia conseguido. O segundo título, em 2015, levou o time cruzeirense para um novo patamar. Se um já era algo nunca conquistado por um time brasileiro, o segundo título fez com que dificilmente a marca fosse igualada em breve. Três, então, é demais. Quando um outro time do nosso país chegar neste nível, muito de nós poderemos não estar mais por aqui. O tempo dirá.

O que se mostrava improvável há alguns anos, hoje se tornou uma meta audaciosa mas possível de ser buscada pela equipe cruzeirense. O topo do mundo já esteve longe, mas hoje é algo palpável, que se mostra perto de ser concretizado a cada Mundial que se inicia.

Ter chegado pela primeira vez pareceu surreal e as duas seguintes confirmam que estamos diante de algo espetacular, mostrando que nenhum supertime da gelada Rússia é imbatível. O calor brasileiro derreteu a prepotência europeia, que parecia ter certeza de que estava sempre à frente e nunca seria ameaçada.
Barreiras não param de aparecer no caminho azul e, uma por uma, elas vão sendo batidas para galgar o maior clube brasileiro de todos os tempos para degraus mais altos e inspiradores.

O melhor de tudo é que, certamente, tem mais por vir. Em breve, chegará mais uma decisão de SuperCopa, a Superliga, a Copa Brasil, uma rotina já conhecida pelos campeões que parecem se encher de ânimo a cada vez que pisam em uma quadra.

Ter conquistado tudo, por mais de uma vez, não causa nenhum tipo de efeito reverso como acomodação. Pelo contrário, cada desafio que aparece é a chance de reafirmar todas as expectativas depositadas e confirmar que estamos mesmo diante de lendas. Daqui a 20 ou 30 anos, o Sada Cruzeiro será lembrado como o time brasileiro que ganhou tudo, de todos.

Felizardos são aqueles que conseguiram a proeza de bater um time histórico, que tem na manutenção da sua base o maior segredo para tantas conquistas seguidas.

O argentino Marcelo Mendez conduz o time com uma maestria singular, conseguindo tirar o melhor de cada jogador e mostrando uma capacidade de estudo dos adversários que faz a diferença para o resultado final. O que não faltam, em mais uma conquista, são merecedores.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: