Base e regularidade: o nostálgico início do Milan

Sem grana pra gastar alto na última janela, a aposta nos jovens da base e num técnico italiano segue funcionando na medida do possível. O Milan é o terceiro colocado até o momento com 25 pontos em 12 rodadas e já bateu até mesmo a forte Juventus, naquele golaço do menino Locatelli, bom nome para o time de Milão aproveitar na sequência do campeonato.

Sem alargar muito os placares das partidas, o Milan vem muito bem armado por Vincenzo Montella com o pouco que tem. O esquema com “duas trincas” traz muito menos perigo à meta rossonera e uma transição rápida entre defesa e ataque. E quando leva perigo, Donnarumma faz jus como o possível  potencial sucessor de Buffon na Itália.

Donnarumma segue sendo o dono da meta do Milan
Donnarumma segue sendo o dono da meta do Milan

Até chegar a próxima janela de transferência, que é quando o dinheiro chinês “cai” na conta milanesa (se fala em 100 milhões de euros para transferências), Montella terá um trabalho desafiador para se manter em boa posição na tabela e conquistar o que parece ser possível essa temporada: uma vaga na Champions League. Para isso, segue apostando nos jogadores que se mostram a vontade na equipe e se esforçam pela posição de titular. Vem jogando do meio pra frente: Kucka, Bonaventura e o argentino Sosa, enquanto o capitão Montolivo segue de fora por lesão, e mais avançados Suso, Niang, que dão velocidade à equipe na transição, e Bacca como referência. Palasic, Locatelli e Lapadula também têm espaço nas partidas. O japonês Honda é que não tem muita chance com Montella, e parece não ligar muito pra isso – quando participa, faz minutos bem abaixo do esperado.

E talvez a peça de ataque mais importante para que esse Milan mantenha a regularidade é o colombiano Carlos Bacca. O centroavante soma 6 gols em 12 jogos de Série A até o momento, mas não vem de boa regularidade: 3 desses gols foram na primeira rodada, e marcou pela última vez na quinta rodada. Os outros concorrentes dos milanistas têm bons atacantes e que vêm mostrando regularidade até o momento:  Dzeko (Roma – 10 gols), Icardi (Inter – 10 gols), Immobile (Lazio – 9 gols) e Higuaín (Juve – 7 gols) são bons exemplos. Bacca quase não ficava no Milan na última janela e isso acabou prejudicando um pouco do saldo de transferências milanês. Precisa de melhor rendimento, pois tem gente a procura de sua vaga no time titular e Montella pode chegar a fazer essa rodagem presando uma possível vaga na Champions League, já que Lapadula vem de boa temporada e Luis Adriano precisa de vitrine para que possa arrumar um novo clube.

Bacca tem dívida pequena
Bacca tem dívida pequena

Igor Paulinelly

20 anos, estudante de engenharia e natural de Currais Novos/RN. São-paulino e amante do futebol desde Brasil vs Costa Rica às 3 da manhã em 2002. Social: @igorpaulinelly

%d blogueiros gostam disto: